Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O FESTin está de volta (com vídeo)

 dólares de areia festin.jpg

O FESTin está de volta com mais uma edição. O festival de cinema itinerante dedicado à Língua Portuguesa traz novamente a Lisboa a produção cinematográfica dos países onde se fala português, num ano em que alguns dos eventos também estão inseridos na programação da Lisboa 2017 – Capital Ibero-americana de Cultura e que encerra, justamente, no Dia Internacional da Mulher.

 

 

Rita Redshoes: “Admiro causas, instituições ou grupos de apoio que lutem pela vida, dignidade e informação”

Rita Redshoes_1.jpg

Rita Redshoes já não é a menina de sapatos vermelhos lançada pela mão de David Fonseca. É agora uma mulher de voz vibrante e segura, que respira e canta a influências que a inspiraram. Em “Her”, nome do seu mais recente álbum, canta referências femininas. Rita concedeu-nos uma entrevista em que aborda o feminino, o apoio às causas LGBT e a PrEP.

 

 

Novo site e tertúlias marcam a celebração do 14º aniversário da associação não te prives

Não te prives.jpg

A não te prives – Grupo de Defesa dos Direitos Sexuais (NTP) está a celebrar este ano o seu décimo quarto aniversário. A efeméride vai ser assinalada com um programa que se inicia a 14 de Fevereiro, data oficial da criação da associação, e estende-se até ao Dia Internacional da Mulher (8 de Março).

 

Conhece a Alexandra Santos do QueeringStyle

Queer Blog Lisboa Alexandra.jpg

Em QueeringStyle a No seu blogue Alexandra Santos mostra-nos o quotidiano queer um pouco por todo o mundo. Embora pertença a uma portuguesa, o blogue está escrito em inglês e aposta numa forte componente visual. Aqui as fotos são transversais e não ficam barradas a nenhum idioma. Fica a saber mais sobre o tumblr que está a dar que falar no mundo e quer crescer em Portugal.

 

 

Efeminados: ser homossexual, mas ter de lidar com a crueldade vinda da própria comunidade?

Foi recentemente criada uma página intitulada: “Sou/curto afeminado”, uma página dedicada a todos aqueles que, como se já não bastasse a hostilidade da sociedade pseudo­moderna, ainda têm que suportar a crueldade vinda da própria comunidade homossexual. A página do Facebook que fez a divulgação da criação desta página foi a “[Humor controverso] Bixa Depressão”, chamando atenção para o problema daqueles homossexuais que afirmam "”Não curto afeminados" no Grindr/Scruff/Hornet da vida” e perguntando “Quantas e quantas vezes você já viu a palavra "Discreto" sendo usada como elogio necessário para a "conduta gay".

Facebook recusa remover foto que equipara o regime Nazi aos homossexuais

 Uma foto em que equipara o Nazismo às pessoas homossexuais foi publicada em Dezembro pelo grupo PPV, Portugal Pró-Vida. A foto do grupo no Facebook está legendada da seguinte forma: “A "agenda gay" está a ser-nos imposta contra nossa vontade. Luta! Resiste! Informa! No próximo dia 4 de Fevereiro vai ser votado no Parlamento Europeu o Relatório Lunacek. Mais uma peça do Puzzle."Queremos uma Europa com direitos humanos iguais para todos e não privilégios para alguns."

 

Sou vegetariana porque sou feminista

O feminismo ensinou-me a impor-me e a resistir a todas as formas de violência, crueldade, opressão, hierarquia, guerras, militarismos, sobre-exploração da natureza e discriminação.  Ensinou-me a derrubar preconceitos, estereótipos e a reconhecer que à partida tudo, todos e todas somos merecedoras de consideração igual.
Foi também o feminismo que me ensinou a posicionar-me perante a maior de todas as opressões: o especismo, e dentro dele a dupla opressão sobre animais fêmeas.

 

Dia Internacional da Mulher: a relação entre o Feminismo e o L de LGBT

Assinala-se mundialmente a 8 de Março, desde 1975, o Dia Internacional da Mulher, sob insígnia das Nações Unidas.

O dezanove.pt falou com Salomé Coelho, activista na UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta, para perceber o enfoque feminista e lésbico deste dia: