Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Primeiro-ministro Justin Trudeau fez história por ir ao Pride de Toronto (com vídeos)

Justin Trudeau Toronto Pride2.jpg

Justin Trudeau, primeiro-ministro canadiano, fez história ao ir ao Pride de Toronto, que decorreu ontem, Domingo, 3 de Julho. Foi o primeiro chefe de governo a marcar presença num Pride no Canadá.

O arranque do Orgulho LGBT nos EUA e Canadá (com vídeo)

Justin Trudeau.jpg

Do outro lado do Atlântico, o presidente Barack Obama voltou a proclamar, pela última vez no seu mandato, o mês de Junho como o Mês do Orgulho LGBT. A tradição remonta ao presidente Bill Clinton, corria o ano 2000, sendo que na altura a designação era Mês do Orgulho Gay e Lésbico, mas tal aconteceu apenas uma vez. Obama retomou o gesto em 2009, tendo-o repetido todos os anos até agora. Foram oito vezes e já com a denominação “Mês do Orgulho Lésbico, Gay, Bissexual e Transgénero”. 

 

 

A minha perspectiva do Orgulho LGBT

Pride de Londres.jpg

Há muito tempo que não escrevo nenhum artigo, mas hoje tenho dois motivos para o fazer. Primeiro porque acabei de participar no Pride de Londres e segundo porque acabei de ler o artigo “O armário” de José António Saraiva. Vou dar prioridade à questão que mais me assola neste momento e é a frase do jornal sensacionalista onde José António Saraiva escreve o seguinte: “Orgulho tem-se naquilo que foi obtido com o nosso esforço”.

 

Maioria não foi às marchas do Orgulho LGBT

Dois em cada três participantes do inquérito levado a cabo pelo dezanove.pt respondeu que no último ano não participou em nenhuma marcha do Orgulho LGBT. Assim, 72 por cento dos leitores refere que não participou em nenhuma marcha ao passo que apenas 28 por cento responderam afirmativamente. Responderam 438 pessoas.

 

Assim foi o Orgulho LGBT em Portugal e no Mundo

Há um mês Ponta Delgada recebia pela primeira vez no arquipélago açoriano a manifestação do Orgulho LGBT. Tratou-se de um dia histórico nos Açores com centenas de participantes a percorrer o centro de Ponta Delgada e milhares de pessoas nos passeios a assistir ao culminar do festival Pride Azores. A partir da capital açoriana, Cassilda Pascoal relatou entre terça-feira, dia de arranque do festival, e Sábado, as conferências e eventos mais importantes do Pride Azores.

Desta forma, chegou ao fim a cobertura do dezanove.pt das Marchas do Orgulho LGBT de Portugal em 2012.

Marcha do orgulho gay cancelada na Sérvia devido ao alto risco

Prevista para este Domingo, 2 de Outubro, a Marcha do Orgulho LGBT de Belgrado foi cancelada. Da mesma forma, as manifestações que se opunham a esta marcha também foram proibidas, anunciou Ivica Dacic, Vice-primeiro Ministro que é igualmente Ministro do Interior da Sérvia.

 

Já conheces o Marco da Silva? (com vídeos)

Nasceu em 1977 em Bremen, na Alemanha, e é filho de portugueses. Cresceu a ouvir fado e andou sete anos num rancho folclórico local que o ajudou a descobrir o talento para a dança. No entanto, o seu objectivo era aparecer na MTV e, já se sabe, através do rancho seria missão impossível. Começa a dançar em discotecas e a dar nas vistas. Surgem convites para animar espaços nocturnos na Alemanha, Holanda e Bélgica. Um produtor convida-o a gravar uma versão da música La Bamba que, além de o levar a vários canais de televisão europeus, chega a número um na Rússia no top dos singles mais vendidos. Depois de uma série de workshops e cursos de dança consegue acompanhar algumas das principais estrelas pop do mundo, como Mariah Carey, Kylie Minogue e Geri Heliwell.

Êxito do Pride de Barcelona, lança a candidatura ao Europride

Decorreu no passado domingo, 26 de Junho o Pride de Barcelona. A marcha que comemora o Orgulho LGBT contou, segundo a organização, com cerca de 150 000 pessoas (o dobro de 2010). No dia antes, e como tem sido habitual nos anos anteriores, decorreu a tradicional Front d’Alliberament Gai de Catalunya, uma marcha com um carácter mais reivindicativo que o Pride. Segundo dados da organização nesta marcha terão participado cerca de 5000 pessoas, ao que a Policia Municipal contrapõe com 1000 pessoas.