Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Acompanha aqui o #orgulho2017

Presença de trabalhadores do BNP Paribas na Marcha divide organizações LGBT

 image1 (4).JPG

Pelo menos duas associações aproveitaram o momento dos discursos para deixarem claro que estavam contra a presença do BNP Paribas na Marcha do Orgulho LGBTI de Lisboa. Esta foi a primeira vez que um grupo de pessoas ligadas a uma empresa privada desfilou na marcha.

Quantas vezes matarão Gisberta?

Sérgio Vitorino.jpg

Definitivamente, o ano de 2006 foi, para mim, um ano terrível. O ano em que perdi dez quilos em poucos meses, como denuncia, para quem me conhece, a foto que acompanha este texto, tirada na Marcha de Lisboa desse ano. Um ano de morte. A morte simbólica da minha vivência – até então sem “contraditório” – de uma cidade do Porto feita apenas de afectos e generosidade; o desaparecimento da minha mãe após demasiado tempo de sofrimento, falecida poucos meses depois dos factos que motivam este artigo e de quem me encontrava a cuidar praticamente a tempo inteiro quando soou o primeiro alarme de que algo pavoroso tinha acontecido num prédio inacabado da Invicta, às mãos de um grupo de catorze rapazes com idades entre os 12 e os 16 anos. Cada um deles, diga-se, simultaneamente algoz e vítima de maus-tratos na infância, a confirmar que a linguagem de violência é muitas vezes de novo reproduzida porque a conheceu na pele e nunca conheceu outra.

 

Sérgio Vitorino estreia Arquivo Queer (com vídeo)

Sérgio Vitorino, activista LGBT e fundador do colectivo Panteras Rosa, é o primeiro protagonista do Arquivo Queer, do grupo Lóbula. Trata-se de um projecto videográfico de testemunhos queer e trans sobre a vida LGBT contemporânea em Portugal, promovido por este colectivo de intervenção artística e cultural de linha trans, queer e feminista. O primeiro vídeo foi colocado online na plataforma Vimeo.

Marinho Pinto é o novo protagonista da política portuguesa

Os resultados das eleições europeias trouxeram más notícias para os defensores dos direitos LGBT. Em França, a Frente Nacional de Marine Le Pen, partido contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, foi o mais votado. Na Grécia, os neonazis do partido Aurora Dourada conseguiram eleger, pela primeira vez, representantes para o Parlamento Europeu, enquanto na Hungria, o partido de extrema-direita JOBBIK ficou na segunda posição.

Associações acusam Correio da Manhã de violar confidencialidade das pessoas transexuais

Várias associações LGBT estão a acusar o jornal Correio da Manhã de ter violado a confidencialidade prevista na Lei da Identidade de Género de pessoas que mudaram de sexo. A reportagem foi publicada a 21 de Outubro.

 

Sérgio Vitorino: Como a crise vai afectar a população LGBT

Este Sábado, o Porto vai receber a Marcha do Orgulho LGBT, a partir das 15h30, com saída da Praça da República. Na semana seguinte é a vez de Braga acolher, pela primeira vez, uma Marcha pelos Direitos LGBT. Mas afinal, o que há para reivindicar? Como é que actual situação económica pode afectar os direitos conquistados? Sérgio Vitorino (Panteras Rosa) em discurso directo.

 

 

 

FMUL in colors debate casamento e a parentalidade por casais do mesmo sexo

Tendo como objectivo trazer para a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa um tema relevante sobre os pontos-de-vista médico e social, o grupo FMUL in colors organiza um debate sobre o casamento e a parentalidade por casais do mesmo sexo.

 

 

Maioria acha que combate ao VIH em Portugal é insuficiente

A maioria dos participantes no inquérito promovido pelo dezanove.pt considera que a política de combate ao VIH em Portugal é insuficiente (57%). Quase um quarto dos participantes considera que é razoável e 9,7% diz que é suficiente. Responderam 575 pessoas.

Figuras da comunidade LGBT alertam para o VIH

Ricardo Pires Morgado (presidente da associação Boys Just Wanna Have Fun – onde se integram os Dark Horses), David Canelas (um dos responsáveis pelo bar WoofLX), Celso Júnior (fundador do Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa, Sérgio Vitorino (activista das Panteras Rosa) e Fernando Santos (actor e transformista – conhecido por Deborah Krystall) dão a cara pelo novo projecto do GAT/CheckpointLx: uma brochura que alerta para os factos do VIH em poucas palavras.

 

Activistas protestam frente ao Coliseu dos Recreios contra concerto de Sizzla

Três dezenas de pessoas reuniram-se ao fim da tarde de quinta-feira em frente do Coliseu dos Recreios, em Lisboa. O motivo do protesto foi o mesmo que 24 horas antes tinha reunido o mesmo grupo de pessoas que se insurge contra a actuação do rapper Sizzla Kalonji esta noite em Lisboa. O pouco tempo para a acção e as ameaças de chuva não desmobilizaram aqueles que se consideram indignados pela presença do cantor na sala de espectáculos lisboeta.

Identidade de Género: 78 pessoas já mudaram de nome, mas processo continua a ser criticado

A Lei de Identidade de Género entrou em vigor a 15 de Março de 2011 mas continua a ser alvo de críticas. Agora é o colectivo Panteras Rosa que está a acusar o Instituto de Registos e Notariado de dificultar o processo de alteração de nome e sexo nos documentos de identificação. Neste momento, quando é apresentado um requerimento de alteração de sexo é também necessário um relatório que comprove a transexualidade. Desde que a lei entrou em vigor, 78 pessoas mudaram de nome e de sexo.

 

 

15 de Outubro - Sérgio Vitorino: "Os direitos sexuais e reprodutivos já estão em causa"

 

O Movimento 12 de Março, nascido das manifestações do Protesto “Geração à Rasca”, vai sair novamente às ruas no próximo Sábado.  O 15.O, ou “15 de Outubro, a democracia sai à rua!”, será uma manifestação global de "protesto apartidário, laico e pacífico", como referem os organizadores.

 

As próximas prioridades da agenda LGBT

A agenda LGBT está bem definida. As prioridades são a a co-adopção, a perfilhação e a procriação medicamente assistida. São estas que “têm agora de ser trabalhadas junto dos partidos políticos. Há que fazer um trabalho de convencimento com o PSD, porque é importante avançar nestas áreas” afirmou ao dezanove Miguel Vale de Almeida à margem da Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa, que decorreu este Sábado. Para o antropólogo e ex-deputado é preciso “pôr os temas na agenda dos media e fazer parcerias”, porque se “pode fazer o mesmo trabalho com este novo governo”. Vale de Almeida acrescenta que “não é nada expectável que o governo de direita faça algum retrocesso no que diz respeito ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e à lei de identidade de género, até porque o PSD já disse estar confortável com estes avanços. É raro em democracia haver este tipo de retrocessos de direitos e também não houve nenhum anúncio disso durante a campanha eleitoral”, lembrou.