Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

CDS Açores contra apoio ao Orgulho Gay do arquipélago

O deputado do CDS-PP Pedro Medina criticou num requerimento entregue no Parlamento dos Açores o apoio do governo regional à realização do primeiro Orgulho Gay do arquipélago, previsto para o próximo ano em S. Miguel. "O Governo Regional dos Açores parece estar mais preocupado em importar eventos que não tem a ver com as nossas gentes, em vez de potenciar a nossa cultura", pode ler-se no documento. O deputado regional, que põe também em causa o montante que o governo poderá gastar no projecto, considera que "a Parada Gay não trará qualquer mais-valia do ponto de vista sócio-cultural para o desenvolvimento e afirmação dos Açores no contexto nacional e internacional, e levanta-nos sérias dúvidas o patrocínio do Governo Regional esse tipo de evento".

 

 

Primeira Marcha do Orgulho Gay dos Açores “só pode envergonhar os homossexuais sensatos”

O anúncio da primeira Marcha do Orgulho Gay nos Açores em 2012, avançado na semana passada gerou bastantes comentários nas redes sociais. Mas foi na imprensa local que surgiram as reacções mais polémicas. João Rocha, cronista do jornal “A União”, é o autor de uma crónica intitulada “Açores de rabo para o ar” em que considera o evento agendado para 2012 em S. Miguel “um exercício de pura esquizofrenia, uma manifestação espalhafatosa que só pode envergonhar os homossexuais sensatos”. O autor da crónica diz ter uma opinião “radicalmente diferente” e cita Graça Castanho, da Direcção Regional das Comunidades, entidade promotora da iniciativa, que “encontra na parada gay ‘um exercício de aceitação do outro’”