Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Turismo LGBT: Porque vale a pena visitar Lisboa no Verão?

Lisbon Gay Portugal.jpg

A Marcha do Orgulho LGBT e o Arraial Pride aconteceram no início do Verão, mas os eventos que atraem visitantes LGBT à capital não se ficam por aqui. Lisboa é cada vez uma cidade onde se aposta no turismo dirigido às pessoas LGBT.

FESTIVAIS: Os principais impulsionadores são as discotecas e organizadores de festas que trazem a Lisboa DJs internacionais, organizam festivais e fazem acontecer festas de renome internacional como a LA LECHE ou a WE Party na capital portuguesa. Todos querem pôr Lisboa, de vez e a par de Barcelona, Mikonos, Ibiza ou Berlim, na rota do turismo gay. Eis alguns exemplos:

A primeira edição do Festival Hot Season decorreu ao longo de 4 dias em 3 locais diferentes, para homens e para mulheres, num total de 7 eventos. Estas são as datas centrais de um festival que amplia toda a sua temporada de Junho a Setembro e que continua a trazer DJ internacionais todos os fins-de-semana deste Verão a Lisboa. Este é o único festival onde existem festas dirigidas especificamente a mulheres, como é o caso das festas da SOCIETY. Os responsáveis do festival revelam que provavelmente metade dos participantes eram estrangeiros e que destes muitos falavam alemão, francês, inglês, espanhol, italiano, moldavo, chinês, japonês e várias línguas nórdicas. O objectivo é tornar este evento “incontornável no calendário internacional de Verão do mercado gay” asseguram.

Na ronda do calendário o Lisbon Bear Pride, organizado pelo bar Tr3s, é o primeiro festival a ocorrer no fim de Maio. Como o nome indica dirige-se essencialmente à comunidade bear e já tem data marcada para 2016: 25 a 30 de Maio.

A Lesboat, festas que se realizam durante o Verão em barcos no Rio Tejo, também vieram para ficar. Nascidas em 2014 com 10% de estrangeiros viram, em 2015, duplicar para 20% os que nela participam. Polacos, ingleses, espanhóis e franceses explica Vanesa Cotrim, também responsável pelas conhecidas festas LESBOA.

Outro festival, dirigido essencialmente a homossexuais, é o Summer Action, organizado pelo grupo Construction. No Facebook agradecem aos dois mil participantes que marcaram presença nesta edição. Nesta edição um dos convidados foi Eliad Cohen, presença em vários festivais gay em todo o mundo.

Todos estes festivais já anunciaram regressar em 2016 com impacto nas redes sociais o veículo para cativar turistas que seguem estes eventos a nível mundial.

 

Outros pontos de interesse:

MÚSICA: E já este Sábado, 22 de Agosto, uma artista internacional, Conchita Wurst, vencedora do Festival Eurovisão da Canção 2014, vem actuar a Lisboa a convite de uma discoteca LGBT, o Trumps. Inicia-se assim Lisboa como a rota de grandes ícones da comunidade LGBT (e não só).

PRAIA: A praia 19, na costa da Caparica (a apenas 25 minutos de Lisboa)  é um dos locais obrigatórios da rota do turismo LGBT. Um local onde, para além de um vasto areal situado numa paisagem natural e água tépida é permitida a prática de nudismo. Muitos turistas e nacionais procuram esta zona para a prática de cruising gay como filmou o realizador António da Silva.

Lisbon gay Praia 19 dezanove.jpeg

CINEMA: Outro evento que traz vários turistas e nacionais a visitar a capital é mais antigo festival de cinema de Lisboa, o Queer Lisboa acontece este ano entre 18 a 26 de Setembro.

DESPORTO: A nível desportivo o destaque vai para o Pitch Beach  organizado pela associação Boys Just Wanna have Fun e que traz mais de 200 atletas do rugby e do voleibol a Lisboa. Para o ano vão também incluir a natação.

ALOJAMENTO: À margem de todos estes eventos não fica naturalmente a hotelaria. Nascem alojamentos exclusivamente dirigidos ao públicos gay, como é o caso do The Late Birds. Mas também cadeias internacionais como a Radisson Blu estão a explorar o filão. O grupo é patrocinador, por exemplo, das celebrações do orgulho em Manchester e tem uma política gay friendly para com os hóspedes. O hotel da cadeia na capital espanhola afirma-se publicamente como gay friendly e quer fazer o mesmo com Radisson Blu Lisboa

Radisson Blu.jpg

CRUZEIRO: 2016 pode ser o ano em que um cruzeiro gay pode voltar a atracar em Lisboa. A última foi em 2013

MARCAS: Cada vez mais marcas querem associar-se ao target gay. Desde empresas internacionais como a Coca-Cola que criou um anúncio para o mercado português até à portuguesas e mais recente MUCH Underwear.

SAUNAS: Lisboa conta com várias saunas destinadas à comunidade gay e apostam na divulgação juntos dos turistas. A sauna Trombeta situada no Bairro Alto recebe apenas homens e começa a organizar alguns after parties. A Sauna Apolo 56 é a única sauna mista da capital e pisca o olho a turistas do Norte da Europa, onde as saunas mistas são já uma tradição enraizada.

BAIRROS GAY FRIENDLY: Chiado, Bairro Alto e Príncipe Real: Os bairros mais centrais da capital vêm nascer bares, mas também outros estabelecimentos, como restaurantes e lojas, que apostam no mercado gay-friendly.

EMPRESAS DE TURISMO: A Lisbon Beach ou a Lisbon Gay Tours  são apenas duas que estão a explorar tours junto do fluxo de turistas LGBT que visitam a capital.

PORTUGAL VISTO LÁ FORA: Um vídeo dos portugueses Lorenzo e Pedro  projectado em todo o mundo  deixou o convite para uma visita à capital portuguesa com a garantia de que os turistas LGBT iriam obter garantidamente respeito se visitassem Lisboa. É apenas uma perspectiva. A homofobia não acabou, mas garantidamente a comunidade LGBT está cada vez mais visível. E até o Turismo de Portugal sabe disso:  

 visit Portugal LGC.jpg

 

Paulo Monteiro

2 comentários

Comentar