Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Uma dúzia de polémicas que marcaram 2016

as polémicas do ano.jpg

2016 não acaba antes de fazermos a retrospectiva sobre as polémicas que marcaram o ano. Subjacente a todas estão sempre os mesmos e perigosos denominadores comuns: ódio, homofobia ou muita ignorância. Nada como expor estes casos e podermos levar aos nossos leitores o mais importante: a informação que gera reflexão e acção.

 

 

1. Denúncia ao Bispo do Porto: Há padres que vão a bares e saunas gay em Vigo

“Padres que, às terças-feiras de manhã cedo, se encontram num ginásio de Gaia para diversão gay, outros que aproveitam folgas de domingo à tarde e segunda-feira para visitas a bares e saunas gay em Vigo e noutros lugares bem perto da fronteira, logo a seguir à ponte de Vila Nova de Cerveira.”

 

2. O cartaz do Bloco de Esquerda: Jesus também tinha dois pais

“O  Bloco de Esquerda “pretendeu contribuir, como sempre fez, para, sem tabus, provocar o debate e, neste contexto, assinalar mais um avanço no respeito pela dignidade das pessoas e por todas as famílias.”

 

3. O alojamento turístico que vedava entrada a gays e lésbicas

“Os três empreendimentos turísticos localizados em Afife, distrito de Viana do Castelo, que vedavam a entrada a gays e lésbicas, adeptos de futebol, frequentadores/adeptos de festivais de música de verão" já retiraram estas condições dos sites de reservas. O proprietário dos estabelecimentos, Paulo Bandeira, foi alvo de uma contraordenação e a multa pode chegar aos 32 500 euros.”

 

4. Lorenzo e Pedro não sabiam que Passos Coelho já não era primeiro-ministro

““Tínhamos a certeza que era o primeiro-ministro, além disso, tratámo-lo assim a noite toda e não nos disse nada contra” e “Nós nem sabemos nada dele, a não ser que é ou foi ministro e que está subscrito ao nosso canal”, foram algumas das justificações que apresentaram. Após a chuva de críticas, Lorenzo fez um vídeo em directo este Domingo no Facebook onde explicava que o casal não estava a par da política nacional, nem lia jornais ou via televisão portuguesa.”

 

5. João Malheiro: “Não gosto do cheiro a homem”

"Não sou homofóbico nem tenho nada contra homossexuais, só sou contra o complexo de superioridade que alguns têm e isso acho irritante. Quanto ao facto de me fazer mal à saúde, é porque me incomoda a ideia de pensar que um dia pudesse ser homossexual”, disse, revelando ainda: “Não consigo dormir com um homem no mesmo quarto, mesmo em camas separadas. Irrita-me. Não gosto do cheiro a homem. E é tão legítimo eu não gostar de homens, como um homem gostar de outros homens”.

 

6. O líder da Juventude Popular que é contra casamento e adopção para casais do mesmo sexo e a favor do ensino da abstinência sexual nas escolas

“O casamento é um instituto secular na sociedade. O casamento, por génese, é entre um homem e uma mulher. Causa-me algum pudor dizer um dia aos meus filhos que a ligação que me une à minha mulher é a mesma que une dois homens, porque os propósitos são diferentes.”  - Francisco Rodrigues dos Santos, que há escassas semanas defendeu “que a educação para a abstinência sexual seja feita a par com a educação para a utilização de métodos contraceptivos”.

 

7. Caso Colégio Militar

“O director da instituição centenária, Tenente Coronel António José Grilo, confirma que ninguém é expulso por ser homossexual, mas deixa claro que ali não há lugar para afectos entre pessoas do mesmo sexo: “Repare, eles não se cobrem para nada, não se escondem para nada, não têm armários fechados… para poderem viver como irmãos que são. E na salvaguarda desse relacionamento, é bom que não haja afectos”. Entre outros casos ocorridos, a reportagem recorda o caso de um aluno que tentou acarinhar outro aluno. Os pais ainda quiseram que ele se mantivesse na escola mas a partir daí perdeu o espaço. Foi completamente excluído”.

 

8. O livro público que revela conversas privadas

O livro “Eu e os Políticos” trouxe a público as confidências de 42 políticos e figuras públicas.

Uma alegada conversa privada entre Miguel Portas, entretanto falecido, e o antigo director dos jornais Sol e Expresso sobre o irmão Paulo Portas esteve no centro das atenções, servindo para que José António Saraiva expusesse a orientação sexual do líder do CDS.

 

9. O caso dos Psicólogos (Católicos)

”Eu aceito o meu filho, amo-o se calhar até mais, porque sei que ele vive de uma forma que eu sei que não é natural e que o faz sofrer.” É como ter um filho toxicodependente, não vou dizer que é bom.” - Maria José Vilaça

"Os homossexuais, tal como todas as pessoas, também ficam doentes e sofrem e estudos mostram que têm mais doenças e sofrem mais." - Abel Matos Santos

“As pessoas que nos chegaram com problemas de homossexualidade denotam uma fragilidade de relação. São pessoas frias. Não estão bem. Aproximam-se da terapia porque não estão bem”, assegura, frisando que são “questões de fragilidade que as levam a ser homossexuais.” -  Madalena Fontoura

 

10. Censura, lesbofobia e transfobia na série Sailor Moon. Depois das críticas, canal Biggs decide tirar a série do ar

O canal de cabo Biggs censurou o beijo entre duas personagens femininas da série de animação Sailor Moon Crystal. A Dreamia, produtora responsável pelo canal de televisão juvenil, admitiu ao dezanove.pt a situação. “A transmissão do programa na versão em causa, com o acordo do respectivo produtor, decorreu tão somente de mera opção editorial do canal, ainda que susceptível de suscitar discordância”.

 

11. Ricardo Araújo Pereira: “Maricas”, “mariconço”, “ humor” e “politicamente correcto”

"Quando digo às minhas filhas que não sejam maricas, não estou a pedir-lhes que não sejam homossexuais masculinos. Elas sabem, aliás, que, se quiserem ser homossexuais masculinos, o pai não se opõe." - Ricardo Araújo Pereira

“Conhecendo a dinâmica dos crimes de ódio como conheço, também conheço a sua ligação aos insultos. É também por isso que para mim é importante que os insultos sejam controlados, há liberdades fundamentais em causa. E que as pessoas percebam o impacto que esses insultos têm, para que possam controlá-los.” – Paulo Côrte Real

 

12. Eduardo Beauté e Luís Borges: Troca de obscenidades e ofensas directas explícitas no Facebook

Depois de reproduzir os conteúdos alegadamente proferidos pelo ex-marido Luís Borges, Eduardo Beauté desabafou: “Nunca me irei esquecer disto. Garanto-te que não o voltarás a repetir. Tens muita mágoa e rancor dentro de ti, precisas de te tratar.”  

 

29 comentários

Comentar