Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Violência imparável no Brasil. Assassinadas 445 pessoas LGBTI em 2017

amor.jpeg

Os dados são do Grupo Gay da Bahia (GGB) que há 38 anos contabiliza os assassinatos e suicídios de pessoas homossexuais e transgéneros no Brasil.

 

Em 2017 foram assassinadas 445 pessoas LGBTI, o que se traduz num aumento de 30 por cento face a 2016. De acordo com o GGB, a cada 19 horas uma pessoa LGBTI é assassinada ou se suicida vítima da LGBTfobia naquele país.

Predominam as mortes provocadas pelo uso de armas de fogo (30,8 por cento), seguida por armas brancas (25,2 por cento). O maior número dos assassinatos (56 por cento) ocorreu em via pública, seguem-se depois os crimes registados na casa das vítimas (37 por cento). Em 25 por cento das situações é identificado o autor do crime.

“A falta de estatísticas oficiais, diferentemente do que ocorre nos Estados Unidos, prova a incompetência e homofobia governamental, já que a presidenta Dilma prometeu aprovar, mas mandou arquivar o projecto de lei de criminalização e equiparação da homofobia ao crime de racismo e o presidente Temer não atendeu ao pleito do movimento LGBT sequer para ser recebido em audiência”, declarou Luiz Mott, fundador do GGB, citado pelo jornal Globo.