Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

"Portugal necessitava de uma sauna mista"

Foi inaugurada há menos de dois anos e é o único espaço do género em Lisboa. O dezanove.pt entrevista a responsável pela SaunApolo 56, a primeira sauna mista da capital.

 
dezanove: Quem não conheça a sauna não terá ideia do que é. Pode explicar-nos melhor qual o conceito do espaço?

Kiki Pais de Sousa: A SaunApolo 56 é um espaço misto, aberto a gays, lésbicas, bissexuais, trans, swingers e heterossexuais - que sejam gay friendly e liberais.

 
Porque é que decidiu avançar com a criação deste espaço?
Porque Portugal necessitava de uma sauna mista que as pessoas, independentemente do sexo e da orientação sexual, pudessem frequentar.
 
 
Que outro tipo de serviços é que oferecem aos clientes?
Temos serviço de massagem realizadas por profissionais diplomados, assim como tratamentos de estética por especialistas.
 
 
Os portugueses têm uma mente aberta para um espaço com estas características?
Sim, existem muitas pessoas que viajam para outros países para frequentarem estabelecimentos do mesmo tipo.

 
Por que optaram por ter preços mais altos que as saunas gay de Lisboa?
 
A SaunApolo 56 não é uma sauna gay, mas mista com um ambiente muito seleccionado e higiene irrepreensível. O espaço está em constante mudança e temos uma boa qualidade dos serviços prestados.

 
Como é que assegura que exista um bom ambiente na sauna por ser mista?
Existem regras que têm de ser cumpridas pelos clientes e estamos sempre vigilantes. Se não cumprirem serão obrigados a sair e ficam proibidos de entrar novamente na sauna. Reservamos o direito de admissão. O principal objectivo é promover o respeito pela diversidade entre todos os clientes.
 

 

Acha que em geral os sítios LGBT e hetero friendly de Lisboa se sabem promover no conjunto, principalmente para captarem turistas estrangeiros?
 

Existem algumas tentativas nesse sentido, mas ainda teremos um longo caminho a percorrer. Deveríamos ser mais unidos, estabelecer parcerias , ainda para mais na actual conjuntura sócio-económica, que é de recessão.

 

5 comentários

Comentar