Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Fernando Tavares: Não passou ao Festival da Canção, mas vai ao Arraial Pride com ‘Gay Divas’ (vídeos)

Fernando Tavares tem 27 anos e é actor. Apaixonado pelo teatro musical, participou em produções portuguesas como ‘High School Musical’, ‘Fame’, ‘Peter Pan’, entre outros.

No passado mês de Dezembro recebeu um convite do produtor Paulo Julião para gravar uma maquete para o Festival RTP da Canção, em que se sagraram vencedores os Homens da Luta. O resultado foi a canção ‘Corpos Trocados’, com música de José Castanheira e letra de Paulo Julião.

Esqueçam os Homens da Luta. Conheçam as Mulheres de Megafone na Mão

“A ausência de mulheres visíveis no movimento LGBT alimenta-se mais de ideias preconcebidas do que de factos reais. Existem e sempre existiram muitas mulheres activas, participativas e visíveis no movimento.” A frase é de Eduarda Ferreira, defensora dos direitos das lésbicas e vem na sequência das muitas mulheres que participaram na Marcha do Orgulho deste Sábado em Lisboa. Não seria necessário mais, mas a prova veio no final da Marcha quando a maioria dos que subiram ao habitual camião dos discursos, este ano estacionado na  Praça da Figueira, não eram eles, mas sim elas.

A mais antiga associação de defesa das lésbicas

As activistas que agora assumem o comando da mais antiga associação de defesa das lésbicas do país, o Clube Safo, também participaram na
Marcha do Orgulho. Luísa Rego, membro da direcção, recorda que, mesmo durante o período em que a associação esteve adormecida e em risco de se extinguir, continuou “activamente a participar em todas as marchas”. “Este é um regresso com mais força e mais vontade de trabalhar”, acrescentando que é “é uma honra sermos as primeiras logo a seguir à faixa de abertura”.

Porque é importante estar presente na Marcha?

A pergunta foi feita pelo dezanove a Gabriela Moita, em plena Marcha do Orgulho, este Sábado: "A marcha tem um factor de visibilidade importantíssimo, mas sei que também gera reacção contrária, porque algumas pessoas não percebem o que é o 'orgulho' e é importante esta surpresa para que as pessoas expliquem o significado da marcha." A psicóloga marchava junto da comitiva da Associação para o Planeamento da Família (APF). "Estou aqui porque o mundo é diverso e porque enquanto o mundo não for reconhecido como tal e existir norma teremos de fazer estas marchas."

Ampliada visibilidade

 “É com ela que sou feliz e não é isso que é importante?”, a pergunta estava escrita com as cores do arco-íris. A Catarina estava com a namorada Simone, mas estava também com os pais, Margarida e Paulo. São estes os fundadores da AMPLOS, Associação de Mães e Pais  pela Liberdade de Orientação Sexual.

As próximas prioridades da agenda LGBT

A agenda LGBT está bem definida. As prioridades são a a co-adopção, a perfilhação e a procriação medicamente assistida. São estas que “têm agora de ser trabalhadas junto dos partidos políticos. Há que fazer um trabalho de convencimento com o PSD, porque é importante avançar nestas áreas” afirmou ao dezanove Miguel Vale de Almeida à margem da Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa, que decorreu este Sábado. Para o antropólogo e ex-deputado é preciso “pôr os temas na agenda dos media e fazer parcerias”, porque se “pode fazer o mesmo trabalho com este novo governo”. Vale de Almeida acrescenta que “não é nada expectável que o governo de direita faça algum retrocesso no que diz respeito ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e à lei de identidade de género, até porque o PSD já disse estar confortável com estes avanços. É raro em democracia haver este tipo de retrocessos de direitos e também não houve nenhum anúncio disso durante a campanha eleitoral”, lembrou.

Haverá espaço para a Igualdade no governo de Passos Coelho?

Ainda não se sabe se haverá alguma Secretaria de Estado da Igualdade no próximo governo de Pedro Passos Coelho. Mas para a até aqui secretária de Estado da tutela “se não houver haverá um retrocesso muito grande face ao governo de José Sócrates. Falam em Desporto e em Juventude, mas não na Igualdade e este é um direito fundamental”. Elza Pais, que no ano passado não esteve presente na Marcha do Orgulho LGBT por questões de agenda, participou ontem na manifestação e relembrou ao dezanove que em 2007, durante o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, “o governo assumiu pela primeira vez a luta pelos direitos LGBT e desde aí tem sido em crescendo”. E exemplifica: “No Eurobarómetro de 2007 para 2009 conseguimos que a discriminação LGBT fosse diminuída em 10 por cento. Este trabalho chegou, por isso, às pessoas.” Elza Pais foi agora eleita deputada do PS pelo círculo de Viseu.

 

Já segues o dezanove no Facebook?

Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa: O que se exige nas ruas?

Aquando da Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa do ano passado, o casamento entre pessoas do mesmo sexo tinha acabado de ser promulgado e tinham já decorrido as primeiras cerimónias. Um ano depois, que direitos é que a comunidade LGBT reivindica na rua?

O que se dizia no Mega Pic Nic do Continente sobre a Marcha do Orgulho

Tarde de sol em Lisboa. Para a Avenida da Liberdade estava estimado cerca de meio milhão de pessoas. Algumas toalhas aos quadradinhos entre galinhas, vacas, pepinos, alfaces e girassóis e música bem alta como pano de fundo. Falamos do Mega Pic Nic do Continente que visa promover a promoção da produção nacional e que decorreu esta tarde em simultâneo com a Marcha do Orgulho LGBT na capital.

Uma oportunidade para o dezanove sair à rua e saber o que os adeptos dos piqueniques e os fãs do Tony Carreira pensam sobre a temática LGBT.

Marcha do Orgulho pára Rua do Carmo

Foi a surpresa da tarde, milhares de pessoas desceram do Príncipe Real até ao Chiado reivindicando igualdade, a não discriminação e direitos LGBT, mas antes da chegada à Praça da Figueira todos, entre manifestantes e transeuntes, pararam para ouvir o manifesto da 12ª Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa lido pela activista e actriz Joana Manuel.

12ª Marcha do Orgulho LGBT realiza-se esta tarde em Lisboa

O arranque da décima segunda edição da marcha que defende o orgulho da comunidade LGBT por oposição à vergonha está previsto para as 17 horas, na Praça do Príncipe Real, em Lisboa.

A defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros (LGBT) e o combate à discriminação de que as pessoas LGBT ainda são alvo são dois dos motes da marcha, que este ano no seu manifesto reforça três conceitos: igualdade, liberdade e solidariedade.

A marcha integra 21 associações e colectivos que percorrerão várias artérias da capital começando pela Rua D. Pedro V, passando pelo Chiado e terminando na Praça da Figueira.

Os leitores do dezanove poderão acompanhar a marcha do orgulho LGBT em Lisboa nas redes sociais Facebook e Twitter através da hashtag #orgulho2011.

 

Álbum de fotos dos preparativos da Marcha

Popota diz que vai à Marcha do Orgulho

A Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa e o Piquenique do Continente na Avenida da Liberdade vão decorrer amanhã à mesma hora. Os preparativos para o evento, que inclui um concerto de Tony Carreira, estão a lançar a confusão no centro de Lisboa, já que a Avenida da Liberdade está cortada. Esta tarde os taxistas vão concentrar-se no Marquês de Pombal e na Praça dos Restauradores em protesto contra a impossibilidade de circularem na avenida. Também o Automóvel Clube de Portugal considerou a situação "completamente inaceitável". Certo é que já existe no Facebook um grupo em que a Popota avisa que vai à Marcha do Orgulho. "Tony, desculpa, não vou ao picnic,'tão à minha espera na Marcha."