Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

A homofobia andou à solta no Arraial dos Santos Populares da Penha de França, mas a Junta de Freguesia tratou (e bem) do assunto

Jf penha de França homofobia

Noite de Santo António em Lisboa. Num dos muitos arraiais populares que preenchem praças, pracetas e recintos da capital ouve-se a homofobia a trespassar num concerto de música popular e cheio de gente a dançar...

Já não chegava o cheiro das sardinhas no ar... Ao menos esse só cheira mal, não fere como as piadas que tornam os homossexuais o alvo da chacota. (flashback aos tempos da escola onde é mais fácil bater nos mais fracos para se ser popular aka bronco?)

Estamos no Arraial da Penha de França, no Mercado de Sapadores, organizado pela Junta de Freguesia no âmbito das Festas da Cidade. O respeito pela diversidade não tinha ficado de parte na conceptualização e na programação que contou com a Colombina Clandestina para arranque do arraial "A Minha Penha é Linda" como diz ao dezanove.pt Maycon Santos: "O nosso Arraial foi organizado com a comunidade e tinha como finalidade a recolha de fundos para as associações do nosso bairro.  Foi amplamente divulgado que se pretendia um Arraial que promovesse a inclusão e a diversidade, mas também um Arraial Vegan e Vegetariano. Um Arraial para todas as pessoas.
A abertura do Arraial realizou-se com a Colombina Clandestina, um colectivo de artistas que defende os direitos de grupos minoritários e promovem o diálogo intercultural, a inclusão de imigrantes e a justiça social da comunidade LGBTQIA+ e afrodescendentes."

Na noite de 12 de Junho o artista Marco Morgado, um dos convidados a actuar no arraial da Penha de França, utilizou uma linguagem "que não corresponde aos valores basilares com que criámos este arraial" refere o mesmo autarca ao dezanove.pt
O vídeo com discurso homofóbico foi amplamente divulgado nas redes sociais e chegou através de diversas fontes ao dezanove.pt:

"Homem que é homem agarra na febra. Os maricas podem ficar de fora"

Vê o vídeo aqui: 

https://www.instagram.com/reel/CewrgtGoN9P/?igshid=YmMyMTA2M2Y

O artista foi alertado pela equipa de produção para não voltar a utilizar essa linguagem durante o concerto: "não toleramos comportamentos homofóbicos e que assim não voltaria a actuar na Penha de França".  Após sensibilização sobre como a linguagem pode ferir, o artista lamentando o sucedido, informou que iria doar o cachet a uma associação LGBTQI+. E assim fez. Esta terça-feira foram doados 380 euros à ILGA Portugal conforme o artista fez questão de partilhar nas redes sociais acompanhado de um pedido de desculpas.

2860705587135200224_8340490529.jpg

A acção foi aplaudida por muitos dos que denunciaram o acto homofóbico.
"Eu acredito que toda a gente pode arrepender-se genuinamente dos seus erros e, sendo esse o caso, muito obrigado por esta acção" escreveu o influencer Kiko is Hot.

IMG_20220615_014719.jpg

"Não nos revemos neste tipo de comportamentos, e é por isso que a Junta de Freguesia reuniu com a ILGA Portugal e está a desenvolver um trabalho conjunto na construção de um bairro cada vez mais inclusivo.

Por fim, gostaria de reiterar que na Penha de França defendemos e continuaremos a lutar pelos direitos da comunidade LGBTQI+.
No Arraial de 2023 continuaremos a pugnar-nos pela promoção da inclusão e da diversidade. Queremos um arraial para todas as pessoas" afirmou o responsável pelo arraial da Penha de França ao dezanove.pt