Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Como vão ser os três dias da Quebrar o Silêncio para discutir o homem como promotor da igualdade

Quebrar o Silêncio Ângelo Fernandes.jpg

A associação Quebrar o Silêncio apresentou o programa da 2º edição do encontro “O homem promotor da igualdade — homens e mulheres lado a lado pela igualdade de género”, que se realiza de 15 a 17 de Novembro no ISCTE-IUL, em Lisboa. Para 2018, o evento terá como eixos centrais a interseccionalidade e os direitos das pessoas LGBTI, além do tema central que é a promoção de novas masculinidades e a promoção do papel do homem na igualdade de género.

Ângelo Fernandes, fundador da Quebrar o Silêncio, refere que “um dos objectivos deste evento é promover masculinidades cuidadoras e transformativas, e reflectir de que modo o homem pode contribuir para uma sociedade onde os direitos e oportunidades sejam iguais entre homens e mulheres. Para nós é fundamental que a igualdade de género seja conquistada através da participação de todas as partes, e o homem tem de ser parte integrante deste processo. Esta visão é transversal ao encontro. Para a edição de 2018, decidimos incidir sobre a interseccionalidade os direitos das pessoas LGBTI. A interseccionalidade é incontornável por ser uma forma de discriminação que cruza diversas características como género, orientação sexual, origem racial e étnica, entre outras características. E escolhemos os direitos das pessoas LGBTI porque é fundamental reconhecer a diversidade existente na sociedade e valorizá-la para que todas as pessoas estejam incluídas e sejam visíveis na reflexão e na própria igualdade de género.”

O evento conta com o apoio da Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro, e do BNP Paribas. Gary Barker (EUA), Duncan Craig (Reino Unido), Asdis Olafsdottir (Bélgica) e Hjálmar Sigmarsson (Islândia) são alguns dos nomes internacionais confirmados. “São todas referências para nós, nomeadamente ao nível do apoio que disponibilizamos para os sobreviventes de violência sexual, mas também no trabalho fundamental com rapazes e homens a nível das masculinidades. Gary Barker é para nós uma voz incontornável nestes temas e com um contributo único, especificamente através do Instituto Promundo, e Asdis Olafsdottir com o seu trabalho na conceção do Barbershop Tool kit para o HeForShe, no âmbito da ONU Mulheres. A nível nacional, temos várias entidades nacionais presentes no programa, como ILGA, AMPLOS, HeForShe ou AMUCIP, e ainda nomes como Karin Wall, Clara Sottomayor, Sandra Saleiro, Vasco Prazeres, Isabel Ventura e Margarida Medina Martins”, descreve o mesmo responsável.

O terceiro dia do programa (sábado) será dedicado a workshops. Estará presente o movimento HeForShe, através da Mónica Canário, para dinamizar “Princesas da Disney: Estereótipos e Papéis de Género nos Contos Tradicionais”, a psicóloga Vânia Beliz assume “Educar para a sexualidade: Chamar as coisas pelos nomes”, enquanto a jornalista Aline Flor será responsável pelo workshop “Linguagem inclusiva: uso correcto e rigoroso do vocabulário”. Mais informações e inscrições aqui.

Recorde-se que a Quebrar o Silêncio é a primeira associação portuguesa de apoio especializado para homens sobreviventes de violência sexual.