Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

"Deixa-te de Mentiras”: A descoberta na adolescência dos anos 80

pjimage (44).jpg

O livro “Deixa-te de Mentiras”, que já se encontra traduzido para português, foi publicado originalmente em França em 2017 e, conta-nos a doce história de um amor terno e sensual, alimentado em segredo, naquilo que a revista Elle descreveu como um “Brokeback Mountain francês”.

 

Tudo começa no átrio de um hotel em Bordéus, quando o escritor avista um jovem estranhamente parecido com o seu primeiro amor, Thomas. E é assim, sob este mistério, que Philippe Besson nos guia em “Deixa-te de Mentiras” a um passado de ternura e inocência, mas também, de sensualidade explícita.

“É sobre esse colchão que eu rebolo pela primeira vez, abraçado a Sébastian. Não somos púberes ainda mas temos a curiosidade pelo corpo do outro. O primeiro sexo masculino que tenho na mão, é o dele. O primeiro beijo, é ele que mo dá. O primeiro corpo que aperto, pele contra pele, é o dele”, descreve o autor logo numa das primeiras páginas.

É um relato de sonhos que se acalentam quando ainda somos apenas gente em potência, assim como, do desencanto, da dor da perda e do crescimento ao jeito da tão célebre procura do tempo perdido. “Sei muito bem que o amante não me vai procurar, pois que exigiu silêncio, impôs uma chapa de chumbo. Os outros alunos não deixariam de reparar numa coisa tão bizarra se, às tantas, ele me cumprimentasse, mesmo de longe”, recorda o então adolescente, sobre o longínquo ano de 1984, numa escola de uma vila do interior de França.

Também abundam os factos e sentimentos autobiográficos, retratando não só um momento muito especial da vida do autor, como também, o de uma França dominada pelas idiossincrasias dos anos 80. “Ele manda-me sair do barracão antes dele, que vai esperar uns minutos, que vai fechar a porta à chave, mantém-se ligeiramente afastado como que para impedir que eu o abrace, para evitar efusões, sobretudo nada de ternura”.

Nascido em 1967, Philippe Besson (na foto) é um premiado romancista, dramaturgo e guionista francês. Conta com mais de vinte livros publicados, muitos deles traduzidos para várias línguas. “Deixa-te de Mentiras” foi considerado Melhor Livro LGBTQ da Oprah Magazine, Escolha do Editor pela New York Times Book Review e Melhor Romance Gay pela revista The Advocate. A edição portuguesa é da Sextante Editora.

 

Carlos Simões

 

1 comentário

Comentar