Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

Em Portugal e no Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Eleições Europeias e as pessoas LGBTI+: Análise ao programa eleitoral do Ergue-te

Depositphotos_407873466_L (1).jpg

O Ergue-te é o sucessor do Partido Nacional Renovador, tendo mudado para a actual designação em 2020. É o partido mais à direita do espectro político em Portugal, perfilando uma linha programática ultranacionalista, assente no revivalismo do fascismo, no isolacionismo económico e cultural e, naturalmente, em posições xenófobas, racistas, LGBTIfóbicas e misóginas. O caminho desenvolvido pela União Europeia nas últimas décadas é visto pelo Ergue-te como um retrocesso para o país. O partido vaticina o colapso do projecto europeu e defende que Portugal deve ocupar o seu lugar num continente de «nações independentes e soberanas». 

 

A candidatura é assumida pelo ex-juiz Rui Fonseca e Castro, afastado da magistratura por insultos e acusações difamatórias a várias autoridades políticas. Nega a existência da pandemia de Covid-19 e é o fundador e presidente da associação Habeas Corpus, que se tem envolvido em acções contra eventos relacionados com temas LGBTQIA+. Com o início do mês do Orgulho, tem difundido ameaças e promovido um discurso intimidatório contra a comunidade. 

A este assunto particular, o Ergue-te dedica um dos seis pontos em que se estrutura o seu programa às eleições europeias. Sob o título «Ideologia de género e cultura de morte», afirma que «não podemos consentir que, sob o falso pretexto de uma suposta tolerância para com os homossexuais, nos queiram impor um pensamento único, obrigatório, que perverte a própria natureza, a biologia e a ciência, submetendo-as às “ciências sociais” como veículo da mentira de uma ideologia doentia (…). Não podemos consentir que nas escolas doutrinem as nossas crianças com mentiras deformadoras, contra-natura, assentes em programas perversos, idealizados por activistas sectários».

São seis as medidas que o Ergue-te propõe neste âmbito: «1) Cortar o financiamento à promoção da Igualdade de Género (ou seja, Ideologia de Género); 2)  Reformular os programas de cidadania, eliminando as prerrogativas ao “género”; 3) Combater a “novilíngua” e utilizar os termos de sempre (por ex: sexo em vez de género); 4)  Combater o aborto e apoiar a natalidade de portugueses; 5)  Revogar a lei da eutanásia e apostar no reforço de cuidados paliativos; 6)  Anular a lei do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo».

 

Consulta o programa eleitoral do Ergue-te: https://www.partidoergue-te.pt/2024/05/programa-do-ergue-te-europeias-2024/

Foto: https://depositphotos.com/pt/

Pedro Leitão