Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Histórias do Amsterdam Pride: das agressões à bandeira humana (com vídeo)

68691975_512737082852663_1852232409068601344_n.jpg

O Amsterdam Pride é um festival gay realizado anualmente em Amesterdão durante o primeiro fim-de-semana de Agosto. O festival atrai centenas de milhares de visitantes todos os anos e é, sem dúvida, um dos maiores eventos anuais dos Países Baixos.

O pico do festival é Canal Parade (desfile de barcos). A 24ª edição do desfile, que neste ano aconteceu no dia 3 de Agosto, contou com 80 barcos, que incluíram uma selecção de pessoas da clínica de DST do centro de saúde GGD Amsterdam, o corpo de bombeiros, o departamento de polícia, a AIDS Fonds, etc.

Ainda que o evento tente apelar à inclusão, aceitação e auto-identidade, nem tudo foram arco-íris. Várias pessoas relataram ataques físicos e abuso verbal. No início da manhã de Sábado, um casal de lésbicas foi agredido por dois homens que passavam de scooter no centro de Amesterdão. De acordo com o jornal holandês Het Parool, as duas jovens passeavam de mãos dadas quando foram atacadas. Da agressão resultaram contusões, um lábio rebentado e um nariz inchado. No mesmo dia, um casal gay foi agredido por quatro homens. As duas vítimas caminhavam ao longo da Prinsengracht, com os braços em volta um do outro. Isso chamou a atenção dos 4 agressores. De acordo com o NH Nieuws, outro casal gay ia de mãos dadas no banco de trás de um Uber, quando decidiram dar um beijo um ao outro. O motorista agrediu o casal verbalmente e cuspiu-lhes na cara. Todos os incidentes foram denunciados à polícia.

Como casos como estes continuam a acontecer mesmo em cidades como Amesterdão, dois dias antes do mundialmente famoso Canal Parade, a Polette decidiu defender os direitos LGBTQ + organizando a sua própria marcha e levando uma mensagem de amor e de aceitação até às ruas de Amesterdão.

Fundada em 2011 por Pierre Wizman e Pauline Cousseau, a Polette veio revolucionar a indústria óptica. A sede em Amesterdão é o centro criativo da empresa. Os designers inspiram-se em tudo ao seu redor: moda, música, arte, arquitectura e a vida quotidiana. Para celebrar o Amsterdam Pride, este ano a Polette decidiu criar uma bandeira arco-íris humana. “Relembrando o passado e criando o futuro” (o tema escolhido para as celebrações do Amsterdam Pride deste ano), as 12 pessoas que formaram a bandeira arco-íris humana (eu incluído) marcharam da icónica praça Dam até ao Homomonument - um memorial que homenageia todos os gays e lésbicas que foram sujeitos a perseguição por causa da sua sexualidade. A Polette filmou ainda um mini-documentário, no qual ouvimos as diferentes histórias e perspectivas das diferentes pessoas que participaram desta iniciativa. Identificam-se com alguma destas histórias? Deixem-nos saber nos comentários.

Miguel Martins