Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Lisboa recebe exposição de um dos melhores fotógrafos de nus masculinos do mundo

Alair Gomes

Alair Gomes é considerado um dos melhores fotógrafos de nus masculinos do mundo e Portugal vai receber pela primeira vez uma das suas exposições mais vanguardistas. O "vernissage" da exposição "Erotic Icons: fotografias de Alair Gomes - colecção de Renata Phoenix" acontece esta quinta-feira, 17 de Outubro no Coletivo 284, na Rua das Amoreiras, 72A, em Lisboa.

A exposição é organizada pela plataforma Lisbon Friendly e conta com curadoria do director de arte Fabio Von der Liebl e do jornalista e publicitário Victor Drummond.

Alair Gomes foi professor e crítico de arte. Apesar do seu trabalho intelectual em várias áreas, hoje em dia o seu nome é mais conhecido pelo trabalho como fotógrafo, especialmente devido às fotos de corpos masculinos seminus, tiradas nos anos 70 e 80, com carga homoerótica. 
As suas obras, a maioria com corpos e nus masculinos, num verdadeiro exercício de traduzir o corpo em uma arquitectura erótico-poética, fazem hoje parte do acervo permanente da Fundação Cartier, em Paris, do MOMA, em New York, da Fundação Itaú Cultural e do Museu de Arte de São Paulo (MASP), no Brasil e da Fundação Loewe, em França.
Quando Alair Gomes morreu em 1992, deixou mais de 16 mil fotografias reveladas e 160 mil negativos. "O resultado do seu trabalho é forte, mas ao mesmo tempo estético, escultórico e poético" comenta Victor Drummond.

"Muitos anos depois, é tempo de celebrá-lo como um dos maiores fotógrafos do nosso tempo: corajoso, furioso, prolífico, controverso, instigante. [...] E eu, bastante orgulhosa em trazer à luz minha colecção preciosa, surpreendente, com fotos nunca vistas." conta Renata Phoenix, a coleccionadora que traz a exposição para Lisboa.

Para ver até 3 de Dezembro no Coletivo 284.

 

3 comentários

Comentar