Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Publicidade

Lisboa recebe exposição de um dos melhores fotógrafos de nus masculinos do mundo

Alair Gomes

Alair Gomes é considerado um dos melhores fotógrafos de nus masculinos do mundo e Portugal vai receber pela primeira vez uma das suas exposições mais vanguardistas. O "vernissage" da exposição "Erotic Icons: fotografias de Alair Gomes - colecção de Renata Phoenix" acontece esta quinta-feira, 17 de Outubro no Coletivo 284, na Rua das Amoreiras, 72A, em Lisboa.

A exposição é organizada pela plataforma Lisbon Friendly e conta com curadoria do director de arte Fabio Von der Liebl e do jornalista e publicitário Victor Drummond.

Alair Gomes foi professor e crítico de arte. Apesar do seu trabalho intelectual em várias áreas, hoje em dia o seu nome é mais conhecido pelo trabalho como fotógrafo, especialmente devido às fotos de corpos masculinos seminus, tiradas nos anos 70 e 80, com carga homoerótica. 
As suas obras, a maioria com corpos e nus masculinos, num verdadeiro exercício de traduzir o corpo em uma arquitectura erótico-poética, fazem hoje parte do acervo permanente da Fundação Cartier, em Paris, do MOMA, em New York, da Fundação Itaú Cultural e do Museu de Arte de São Paulo (MASP), no Brasil e da Fundação Loewe, em França.
Quando Alair Gomes morreu em 1992, deixou mais de 16 mil fotografias reveladas e 160 mil negativos. "O resultado do seu trabalho é forte, mas ao mesmo tempo estético, escultórico e poético" comenta Victor Drummond.

"Muitos anos depois, é tempo de celebrá-lo como um dos maiores fotógrafos do nosso tempo: corajoso, furioso, prolífico, controverso, instigante. [...] E eu, bastante orgulhosa em trazer à luz minha colecção preciosa, surpreendente, com fotos nunca vistas." conta Renata Phoenix, a coleccionadora que traz a exposição para Lisboa.

Para ver até 3 de Dezembro no Coletivo 284.

 

3 comentários

Comentar