Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Opus Diversidades: Sai António Serzedelo. Entra Hélder Bértolo

António Serzedelo e Hélder Bértolo

António Serzedelo, o líder histórico da Opus Diversidades (anteriormente designada Opus Gay) e o mais antigo activista LGBTI+ de Portugal, deixou o seu cargo de Presidente na associação fundada em 1997.

 

O novo presidente é Hélder Bértolo activista e apresentador do programa de rádio Para Lá do Arco-Íris. Da nova Direcção, eleita da 15 de Junho, constam ainda nomes como Paulo Rainho e Larissa Bello (vice-presidentes), Sandro Filipe (tesoureiro), Nelson Farrim (secretário), Tiago Baeta (1º vogal), Ana Cavazzana (2ª vogal), Paula Martín, Santiago Vasconcelos e Paulo Spínola (suplentes). Na Mesa da Assembleia Geral estão António Pedro Dores, Mário Beja Santos e Cristina Roda. O Conselho Fiscal fica a cargo de João Manuel Martins, Isabel Pinela e Carlos Gonçalves.

Para além de fundador da Opus Gay António Serzedelo foi o principal autor do Manifesto de Acção Homossexual Revolucionária (MAHR) - Liberdade para as Minorias Sexuais, publicado logo a seguir ao 25 de Abril de 1974. António Serzedelo é ainda autor do programa de rádio Vidas Alternativas, jornalista, político (exerce o cargo de vereador de Cultura e Bibliotecas, Interculturalidade, Envelhecimento Activo e Desenvolvimento Sustentável na Junta de Freguesia de Arroios, em Lisboa), participou em inúmeras marchas do orgulho LGBTI e promoveu a criação do memorial de homenagem às vítimas da violência homofóbica e transfóbica em Portugal, no Príncipe Real, em Lisboa.

“Depois de mais de vinte anos de trabalho, a Opus Diversidades renova-se, tanto a nível da imagem como dos órgãos-sociais. Não se dissociando do passado nem do presente, tem, no entanto, uma visão de futuro para si enquanto entidade independente e progressista, tentando sempre evoluir e adaptar-se as novas realidades sociais” faz saber numa nota enviada ao dezanove.pt. A linha de acção da Opus continua a focar-se no apoio psicossocial da comunidade LGBTI+ sénior, de pessoas transexuais e intersexo, lésbicas e migrantes, e propõe-se ainda, aliar-se a projectos de consciencialização para a importância de uma interacção ecológica positiva entre o ser humano e o meio ambiente. Neste momento um dos seus principais projectos é implementar uma casa de acolhimento para pessoas LGBTI+ séniores.

A associação Opus Diversidades é uma ONG e uma IPSS de Utilidade Pública sem fins lucrativos.  Em 23 anos de existência prestou apoio a pessoas LGBTI+ como foi o caso do projecto LGBT Seniores, a marcar presença no debate sócio-político e a lutar pela eliminação de qualquer tipo de discriminação ou assédio das pessoas LGBTI+ nos domínios da saúde, do trabalho, da família, da educação e procura ao mesmo tempo a institucionalização da diversidade. Ultimamente a associação Opus Diversidades está a trabalhar em rede com outras associações e entidades no actual contexto da pandemia de covid-19.  

 

1 comentário

Comentar