Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Penas de prisão efectivas por agressões homofóbicas

Duarte e Daniel.jpeg

O caso remonta a Julho de 2018 quando Duarte, de 26 anos, ia acompanhar o namorado Daniel ao local de trabalho. Foi aí que três pessoas (mãe, pai e filho de 42, 66 e 20 anos respectivamente) atacaram o casal homossexual em pleno centro comercial Alma Shopping, em Coimbra.

Começaram com comentários homofóbicos, tendo depois partido para a violência física e espetado com um alicate na cabeça de um dos deles e atacado o outro no chão com pontapés. Ninguém os defendeu no local.

Esta quinta-feira, o Tribunal de Coimbra condenou a mulher a dois anos de prisão efetiva e o filho, de 20 anos foi condenado a três anos de prisão também efectiva, devido a ambos terem antecedentes criminais recentes e graves, revelou Duarte ao Jornal de Notícias. O terceiro atacante foi condenado a uma pena de três anos de prisão, suspensa. Os três terão ainda de pagar indemnizações de dez mil euros a Duarte e 7500 euros ao seu namorado Daniel.

Durante o julgamento, Duarte, de 26 anos, afirmou que ainda tem sequelas das agressões na cabeça - foi atingido com um alicate. O seu namorado, Daniel, contou que teve pesadelos nas semanas a seguir e que ambos mudaram a maneira de estar em locais públicos, evitando carícias.

“Foi uma condenação exemplar", “justa" e que quis “tornar este caso um exemplo de condenação para um crime contra a comunidade LGBT" considerou o jovem após a leitura da sentença.