Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Sultão do Brunei recua na pena de morte por apedrejamento para homossexuais

Hassanal Bolkiah Brunei.jpg

O Brunei não irá aplicar, pelo menos para já, a pena de morte por apedrejamento para homossexuais. A decisão agora conhecida vem na sequência da indignação e apelos da comunidade internacional nas últimas semanas.

 

A nova lei previa ainda a morte por apedrejamento para adúlteros e violadores.

O Sultanato do Brunei, na ilha de Bornéu, é governada com mão de ferro pelo sultão Hassanal Bolkiah, de 72 anos. A execução por apedrejamento e a mutilação de membros são punições baseadas na lei islâmica Sharia e entrou em vigor no Sultanato do Brunei no passado mês de Abril, perante indignação generalizada da comunidade internacional.

O recuo do Sultão foi difundido no passado Domingo pela estação pública de televisão do Brunei: 

"Estou consciente que há muitas questões e más interpretações sobre o novo código penal. Não deveria haver qualquer inquietação sobre a Sharia, uma vez que é plena de misericórdia e de bençãos de Alá".

Hassanal Bolkiah decretou o adiamento à aplicação da lei da pena de morte ao mesmo tempo que afirmou que o Brunei irá ratificar a convenção da ONU contra a tortura, assinada pela maioria dos países há já vários anos. De referir que não há execuções no Brunei desde 1957.