Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

O arco-íris que termina no Qatar

Manuel Oliveira

Alteraram a braçadeira de capitão, colocaram bandeiras nos estádios e, chegaram até, a criar uma onda de afecto quando um jogador se assumiu homossexual. Mas, apesar de todo o “activismo”, que agora percebemos falso, não se lembraram de mais nenhum país para celebrar a maior competição do desporto que amam. Tornou-se difícil a escolha e, por coincidência, ficou designado um país onde ser LGBTQIA+ não só é ilegal como é punível com pena de morte. 

 

A (in)segurança de pessoas LGBT no Campeonato Mundial de Futebol no Qatar

qatar 2022 fifa.jpg

O Campeonato Mundial de Futebol FIFA de 2022 será a vigésima segunda edição deste evento desportivo e ocorrerá no Qatar, um país que criminaliza a homossexualidade. Muito se tem falado sobre a (in)segurança de pessoas LGBT neste país e as declarações de várias pessoas sobre o tema têm sido contraditórias.

Não vai haver bandeira do arco-íris hasteada no Porto. Associações LGBTI acusam autarquia de “falta de sensibilidade”

bandeira arco iris porto 17 maio

Um comunicado de imprensa divulgado este sábado pelo Conselho Consultivo para as questões LGBTI (CCLGBTI) acusa a autarquia liderada por Rui Moreira de “falta de sensibilidade” por não hastear a bandeira do arco-íris no edifício dos Paços do Concelho do Porto na próxima segunda-feira, Dia Nacional e Internacional Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia.

 

Bandeiras e máscaras contra a homolesbobitransfobia em tempos de covid-19

Junta de Freguesia Misericórdia Lisboa Homofobia

A Junta da Freguesia da Misericórdia, em Lisboa, não deixou de assinalar o Dia Internacional contra a Homolesbobitransfobia, 17 de Maio, hasteando a bandeira do arco-íris na sede da freguesia e recorrendo a máscaras arco-íris feitas pela transformista Jenny Larrue, que trabalha habitualmente no Finalmente Club, fechado em tempos de covid-19.

O vestido dos países que nos perseguem

Ashlynn Danger Danielsen & Amsterdam Rainbow Dress Foundation

Mais de um terço dos países do mundo têm legislação anti-LGBTI.  Entre listagens, notícias e iniciativas que denunciam estas situações há uma que aconteceu mesmo aqui ao lado. Durante a Semana do Orgulho LGBTI de Madrid foi apresentado, no Museu do Prado, um vestido que representa os países onde as pessoas LGBTI são perseguidas.

 

 

Morreu o criador da bandeira do arco-íris

Gilbert Baker bandeira LGBT.jpg

Gilbert Baker, o nome poderá não dizer muito à maioria dos leitores, mas a sua obra é incontornável. Em 1978, Baker costurou a primeira bandeira colorida e que se tornou o símbolo da comunidade LGBTI em todo o mundo. Baker faleceu aos 65 anos de idade na madrugada da última quinta-feira, noticiam os media norte-americanos. 

 

As fotos da maior Marcha do Orgulho LGBTI de Lisboa. Até hoje

bandeira arco.jpg

Não há números oficiais, mas a opinião é unânime: Esta foi a maior Marcha do Orgulho de Lisboa. À 17ª edição, num contexto de várias conquistas legislativas recentes em Portugal e um massacre efectuado contra a comunidade LGBTI em Orlando, as ruas de Lisboa encheram-se manifestantes para celebrar o Orgulho LGBTI. 

Bandeira do arco-íris na CML: hasteada, desaparecida, reaparecida

BandeiraLGBTI_CML.jpg

A bandeira do arco-íris, que foi hasteada de forma inédita pela primeira vez num edifício público em Portugal, desapareceu poucas horas depois da varanda dos Paços do Concelho da Câmara Municipal Lisboa sem razão aparente. As fotos da bandeira hasteada multiplicaram-se durante todo o dia de ontem, 17 de Maio, nas redes sociais.