Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

Em Portugal e no Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Faleceu Eduarda Alice Santos, histórica activista trans em Portugal

Eduarda Alice Santos

A histórica activista de defesa das pessoas trans em Portugal faleceu hoje devido a complicações de saúde. A informação foi adiantada por amigos próximos.

 

Transfake. Invasão de palco no Teatro São Luiz durante a peça "Tudo sobre a minha mãe". Teatro do Vão reconhece erro no casting e promete melhorar no futuro

Transfake Keyla Brasil Teatro São Luiz

Uma invasão de palco esta quinta-feira durante a peça "Tudo sobre a minha mãe" encenada por Daniel Gorjão levou a mesma a ser interrompida. Em causa está uma acusação de transfake à produção da peça baseada no icónico filme de Pedro Almodóvar.

 

Taylor Catclaw – o tatuador da empatia

taylor tatuador.jpg

Se espreitarmos o Instagram de Taylor Catclaw, somos absorvidos pelo seu talento e pelo cunho muito pessoal que atribui à forma como tatua. Quem o segue há mais tempo, acompanhou a sua transição como homem trans, ignorando, contudo, o que se passava para lá das cortinas das redes sociais.

 

 

Guadalupe Amaro: "Compreendendo que é o nosso silêncio que querem, cá me têm por calar"

Guadalupe Amaro

Hesitei bastante em escrever este texto, porque desejava, por tudo, conseguir ignorar toda a enxurrada de merda que me leva a escrevê-lo. Mas, compreendendo que é o nosso silêncio que querem, cá me têm por calar.

 

Centenas marcharam pela Visibilidade Trans em Lisboa e Porto. Em Lisboa recusou-se hastear bandeira

IMG_20220331_183602_126.jpg

Esta quinta-feira, 31 de Março, celebrou-se o Dia da Visibilidade Trans. Em Lisboa e Porto centenas saíram às ruas reivindicando mais visibilidade, mais Saúde e menos estigmatização.

 

Assinala-se hoje o Dia da Visibilidade Trans

 

dia visibilidade trans

No creo en la violencia de género, creo que el género mismo es la violencia, que  las normas de masculinidad y feminidad, tal y como las conocemos, producen  violencia.”  - Paul B. Preciado  

 

Transexualidade, Transgénero e Trans são termos recorrentes para expressar a  variedade de vivências de género que não correspondem ao género atribuído à nascença  ou ao binário masculino/feminino. Identidades trans podem ser binárias ou não binárias,  podem escolher fazer a transição de género socialmente, legalmente e/ou medicamente,  ou não, sem com isto invalidar a identidade da pessoa.

 

 

“O que vem depois da esperança?” uma palestra-performance-oficina sobre a visibilidade trans

mala voadora

Hilda de Paulo, artista transfeminista, juntamente com o Teatro Universitário do Porto, organiza “O que vem depois da esperança?” de 31 de Março a 3 de Abril na Mala Voadora, no Porto.

 

 

Brasil: Morreu Paulo Vaz, activista trans 

Popó Vaz

Paulo Vaz faleceu esta segunda-feira, 14 de Março, aos 36 anos. Conhecido como Popó Vaz, era um dos únicos homens trans activos na Polícia no país onde exercia funções de investigador.

 

Documentário Ary: Até quando vamos ignorar os direitos das pessoas transgénero?

Ary - documentário trans

Para muitas pessoas o nome Ary diz qualquer coisa, mas para a maioria não. Bom está então na hora de conhecermos melhor quem é Ary Zara Pinto, um dos grandes activistas pelos direitos das pessoas transgénero e na desmistificação de muitos preconceitos e ideias erradas sobre estas pessoas e as suas experiências. 

 

Xica Manicongo, um importante símbolo de resistência e luta para a comunidade LGBTI+

Xica Manicongo

Xica Manicongo trata-se da primeira pessoa a ser reconhecida, através de um documento, como travesti no Brasil, em pleno século XVI. E é graças a um arquivo existente em Lisboa que esta história é hoje conhecida. 

 

Colombina Clandestina, um carnaval cheio de Graça, feminista, negre e queer

© Foto Raquel Pimentel

O Grito de Carnaval foi em Alfama, no beco de São Miguel, ali onde há seis anos começou o Bloco da Colombina Clandestina, o bloco de Lisboa, que leva a luta e a festa às ruas, lugares de encontro e resistência. Corpos negres, queer, feministas e antirracistas numa cidade em ambiente pós-colonial. No Panteão gritou-se contra Putin e a sua invasão à Ucrânia, no Coreto da Graça foi a “Luz de Tieta” que iluminou o lançamento do single “Histérica e Louca” de autoria de Heidy, a voz da Colombina, Puta da Silva, a voz da negritude trans e Alexa, palavras do feminismo anti-racista e descolonial.