Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

Em Portugal e no Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Guadalupe Amaro: "Compreendendo que é o nosso silêncio que querem, cá me têm por calar"

Guadalupe Amaro

Hesitei bastante em escrever este texto, porque desejava, por tudo, conseguir ignorar toda a enxurrada de merda que me leva a escrevê-lo. Mas, compreendendo que é o nosso silêncio que querem, cá me têm por calar.

 

Centenas marcharam pela Visibilidade Trans em Lisboa e Porto. Em Lisboa recusou-se hastear bandeira

IMG_20220331_183602_126.jpg

Esta quinta-feira, 31 de Março, celebrou-se o Dia da Visibilidade Trans. Em Lisboa e Porto centenas saíram às ruas reivindicando mais visibilidade, mais Saúde e menos estigmatização.

 

Assinala-se hoje o Dia da Visibilidade Trans

 

dia visibilidade trans

No creo en la violencia de género, creo que el género mismo es la violencia, que  las normas de masculinidad y feminidad, tal y como las conocemos, producen  violencia.”  - Paul B. Preciado  

 

Transexualidade, Transgénero e Trans são termos recorrentes para expressar a  variedade de vivências de género que não correspondem ao género atribuído à nascença  ou ao binário masculino/feminino. Identidades trans podem ser binárias ou não binárias,  podem escolher fazer a transição de género socialmente, legalmente e/ou medicamente,  ou não, sem com isto invalidar a identidade da pessoa.

 

 

“O que vem depois da esperança?” uma palestra-performance-oficina sobre a visibilidade trans

mala voadora

Hilda de Paulo, artista transfeminista, juntamente com o Teatro Universitário do Porto, organiza “O que vem depois da esperança?” de 31 de Março a 3 de Abril na Mala Voadora, no Porto.

 

 

Brasil: Morreu Paulo Vaz, activista trans 

Popó Vaz

Paulo Vaz faleceu esta segunda-feira, 14 de Março, aos 36 anos. Conhecido como Popó Vaz, era um dos únicos homens trans activos na Polícia no país onde exercia funções de investigador.

 

Documentário Ary: Até quando vamos ignorar os direitos das pessoas transgénero?

Ary - documentário trans

Para muitas pessoas o nome Ary diz qualquer coisa, mas para a maioria não. Bom está então na hora de conhecermos melhor quem é Ary Zara Pinto, um dos grandes activistas pelos direitos das pessoas transgénero e na desmistificação de muitos preconceitos e ideias erradas sobre estas pessoas e as suas experiências. 

 

Xica Manicongo, um importante símbolo de resistência e luta para a comunidade LGBTI+

Xica Manicongo

Xica Manicongo trata-se da primeira pessoa a ser reconhecida, através de um documento, como travesti no Brasil, em pleno século XVI. E é graças a um arquivo existente em Lisboa que esta história é hoje conhecida. 

 

Colombina Clandestina, um carnaval cheio de Graça, feminista, negre e queer

© Foto Raquel Pimentel

O Grito de Carnaval foi em Alfama, no beco de São Miguel, ali onde há seis anos começou o Bloco da Colombina Clandestina, o bloco de Lisboa, que leva a luta e a festa às ruas, lugares de encontro e resistência. Corpos negres, queer, feministas e antirracistas numa cidade em ambiente pós-colonial. No Panteão gritou-se contra Putin e a sua invasão à Ucrânia, no Coreto da Graça foi a “Luz de Tieta” que iluminou o lançamento do single “Histérica e Louca” de autoria de Heidy, a voz da Colombina, Puta da Silva, a voz da negritude trans e Alexa, palavras do feminismo anti-racista e descolonial. 

 

#SÓQNÃO: é hora de salvar a sociedade do preconceito

IMG_20211201_191058.jpg

Após duas temporadas, o projecto #SÓQNÃO está de volta para dar voz aos outsiders que são vistos como “não normais” pela sociedade. Em pouco mais de dez minutos por episódio, esta temporada consegue, em quatro dos dez episódios, dar representatividade  à comunidade LGBTQ+ e destaque ao não-binarismo, bissexualidade e à temática trans. 

 

 

O que podemos todes aprender com o Dia da Memória Trans

Marco Graça

Este Sábado dia 20 de Novembro, a celebração da Semana de Visibilidade Trans encerrou, como sempre desde a sua criação, com um dia antitético ao espírito da semana, um dia em que nos juntamos para relembrar as pessoas que continuamos a perder para a transfobia. Um dia em que honramos a coragem que estas pessoas tiveram. Coragem para lutarem pela sua felicidade, num mundo cis que prioriza o seu próprio conforto aos direitos de pessoas trans, e deixar a sua marca em quem as amou. Antes, durante e no final do manifesto, anunciou-se a desconcertante notícia que desde o Dia da Memória Trans anterior, 375 pessoas trans, pelo mundo inteiro, já não se encontravam entre nós, vítimas de crimes de ódio. 

 

Dia Internacional da Memória Trans – Lembrar para quê?

IMG-20211120-WA0040.jpg

A história queer está cheia de símbolos – muitas vezes, esses símbolos são pessoas, e quase sempre pessoas que perderam a vida cedo demais. No 20 de Novembro, Dia Internacional da Memória Trans, é normal evocarmos alguns desses símbolos.