Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

A emotiva entrevista de Luís Borges ao “Alta Definição” (com vídeo)

borges.png

O manequim Luís Borges foi o protagonista da edição desta semana do programa “Alta Definição” (SIC), conduzido por Daniel Oliveira. Luís Borges contou que foi abandonado pela mãe, a quem designa por “progenitora”, aos dois meses de idade.

“A minha progenitora deixou-me num quarto de pensão e foi comprar droga para consumir. Pediu à senhora da pensão para cuidar de mim e não voltou. Foi presa pela polícia e deportada para Cabo Verde. Teve a opção de me levar a mim e ao meu irmão com ela, mas disse que não queria”, revelou. Vinte anos depois, a mãe regressou a Lisboa para fazer um tratamento contra o cancro. O reencontro entre Luís Borges e a mãe não correu bem. “Ela disse-me coisas que não se dizem a ninguém. Abri-lhe a porta da minha casa, fui com ela a consultas, comprei-lhe roupa e quando disse que queria saber quem era o meu pai, porque sou filho de pai incógnito no BI, ela respondeu que não sabia quem era, se era francês ou sueco, e disse-me : 'Tens muita sorte de eu não te ter posto num caixote do lixo'. Isso são frases de uma pessoa sem sentimentos”, relatou Luís Borges. Numa viagem à sua infância e adolescência, o manequim confessou: “Tive de aprender a gostar de mim. Eu era o patinho feio. Usava uns ócuilos redondos que tinham sido da minha irmã Olga e que tinham passado para mim porque nao havia dinheiro para comprar uns novos. Achavam-me feio., era super magrinho”. A relação de sete anos com Eduardo Beauté e com os filhos também foi abordada: “Eu amo o Eduardo e amo os meus filhos. Quero esta relação para a vida”.

Daniel Oliveira perguntou ainda se num casal homosexual existia, necessariamente, um elemento activo e um elemento passivo na relação. “Não, existe amor. A partir daí descobrimos e tentamo-nos adaptar ao que cada um gosta”, sublinhou Luís Borges.

Recorde-se que o “Alta Definição” foi eleito programa de TV do ano pelo dezanove.pt.

 

4 comentários

Comentar