Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Jovem Conservador de Direita: "As pessoas LGBT podem casar-se desde que seja com pessoas de um sexo diferente" (spoiler: uma entrevista muito à Direita)

Jovem Conservador de Direita entrevista 19 - 1.png

Vê-se como um novo Paulo Portas depois de passado pela plaina, promete descontos aos gays na aquisição de malas e sapatos e revela que o armário da Direita não é grande, é enorme...  

Quem é este novo fenómeno que aterroriza a classe política com e-mails incisivos que depois publica na sua página do Facebook e que quer usar o Naming para salvar o país?

Fica a conhecer os ideais deste Jovem Conservador de Direita, que volta e meia fala em "homens belos", nesta entrevista em que a realidade supera a ficção. Ou será o contrário?

 

dezanove: Isso de se ser um Jovem Conservador de Direita já não está um nadinha fora de moda? …. ou veio preencher um lugar (recentemente deixado) vazio?

Jovem Conservador de Direita: Engraçado que me diga isso. Provavelmente, o senhor jornalista está atrás do computador a escrever estas perguntas, vestido com um pullover manhoso ou uma t-shirt comprada na Zara, com uns noodles de pacote como refeição rápida, enquanto eu ainda estou a trabalhar, com um ordenado milionário ao fim do mês, vestido com um fato Armani e uns sapatos do mestre sapateiro e meu amigo pessoal Stefano Bemer. Quem é que está um nadinha fora de moda agora?
Agora mais a sério, está fora de moda, sim. E é por isso que quero ser o responsável pelo renascimento da Direita, um Dr. Paulo Portas 2.0, mas sem as contradições. No fundo, sou um Dr. Paulo Portas que passou pela plaina e que não arranha ao toque. Quero que a Direita seja novamente sexy e cool, como dizem os jovens, de modo a preparar o regresso do Dr. Paulo Portas. Sim, porque vai regressar! Neste momento, já o encaminhámos para a Direitofilia Unida de Mortos Políticos (DUMP), de modo a cumprir os 12 passos de reabilitação política.

 

Em 2016, um jovem, embora conservador e de Direita, pode ser a favor da igualdade de Direitos para as pessoas LGBT ou isso é uma ideia muito à Esquerda?

Para mim, as pessoas LGBT sempre tiveram os mesmos direitos que o resto da população. Tal como o resto da população, podem casar-se desde que seja com pessoas de um sexo diferente. O problema da suposta defesa dos direitos LGBT que vocês fazem é que, enquanto vocês defendem que os homossexuais devem fazer aquilo que querem, pecar à vontade, casarem-se uns com os outros e traumatizar crianças pelo caminho, nós defendemos que os homossexuais devem fazer aquilo que Deus quer que eles façam, que é terem uma vida virtuosa junto de uma pessoa de sexo diferente. Quando Deus criou o Homem, nunca disse que seria fácil. Como heterossexual, tenho que admitir que é perfeitamente compreensível que uma pessoa se sinta atraída e fique maravilhada com o corpo desnudado de um homem. Se Deus criou o Homem à sua imagem, o Homem teria que ser obrigatoriamente belo. E é belo. Muito.

 

Tenho de interromper este momento homoerótico, porque não pude deixar de reparar que quando usou a expressão “homens belos” houve uma certa semi-rigidez na sua zona genital…

Olhe, digo-lhe já que não vale a pena. Pode tirar o seu póneizinho de crina multicolorida e com uma sela cor-de-rosa choque da chuva porque os seus jogos de sedução não têm qualquer efeito em mim. Muito sinceramente, não estava à espera de um jornalista que em vez de se concentrar na substância da entrevista se focasse no meu pénis. Repare, mesmo que tivesse experienciado uma semi-rigidez peniana, vários motivos poderiam estar relacionados com a mesma. Olhe, por exemplo uma súbita necessidade de urinar que faz afluir o sangue ao meu pénis. Imagine que estava a entrevistar o anterior Primeiro-Ministro de Portugal. Será que teria a ousadia de proferir declarações sobre uma suposta flacidez, semi-rígidez ou até mesmo rigidez do pénis do Dr. Pedro Passos Coelho? Já agora, porque não dizer também que verificou que Presidente da República cessante tem uns testículos gigantes! Por amor de Dr. Deus, haja decoro! E também lhe digo, mesmo se, hipoteticamente falando eu tivesse sentido uma semi-rigidez peniana ao falar de “homens belos”, o que, desde já, não admito, qual é o católico praticante que não sente o mesmo quando se depara perante o milagre da criação divina na sua plenitude? Dr. Deus criou o homem como ser cinestésico que comunica com o seu corpo e todos temos um lado animalesco dentro de nós. As minhas semi-rigidezes penianas nada mais são do que a simples admiração pela estética divina e nada têm de cariz sexual. Aliás, muitas vezes durante a missa, experiencio semi-rigidezes penianas quando o Padre Felício fala do corpo desnudado de Cristo. O Padre Felício diz-me que nada há de errado em senti-las, desde que depois nos confessemos perante Dr. Deus com o máximo de detalhes possíveis e usemos o cilício apertado na perna direita no grau de intensidade 5.

Jovem Conservador de Direita entrevista 19 - 2.png

Mas, voltando àquilo que estava a dizer antes da sua interrupção impertinente. A beleza do corpo masculino é apenas uma maneira de Deus nos pôr à prova. Um fardo com o qual temos que viver. Escolher o caminho da homossexualidade é escolher o caminho mais fácil. É certo que um homem não é de ferro e haverá alturas em que vai pisar o risco. Mas, se se confessar e se se arrepender verdadeiramente do seu comportamento pecaminoso, Deus vai perdoá-lo. Porque Deus ama o pecador. Mas, ao legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, estamos a institucionalizar um comportamento que é considerado desviante por Deus. E se Deus perdoa aqueles que cometem o pecado da homossexualidade e se arrependem, nunca vai perdoar aqueles que não só cometem o pecado da homossexualidade como o celebram em festas com 300 convidados como se isso fosse aceitável. É que um homem que se casa com um homem não está verdadeiramente arrependido de ter relações sexuais com um homem e Deus não admite que um homem tenha relações sexuais com um homem e fique de consciência tranquila. A argumentação da direita sobre a homossexualidade é muito mais complexa do que a esquerda quer fazer crer. Ao chamarem-nos homofóbicos estão a desvalorizar a única opinião que está certa aos olhos de Deus sobre este tema. A ironia é que aqueles que os verdadeiros homofóbicos são vocês, aqueles que defendem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Porque estão a defender uma prática que vai empurrar os homossexuais directamente para o inferno. Nós, de direita, somos os verdadeiros amigos dos homossexuais porque nos preocupamos verdadeiramente com eles, queremos que se tratem, que tenham um casamento feliz dentro do possível e que tenham uma vida virtuosa aos olhos de Deus, com um ou outro pecado do qual se arrependem e que, no final, vão para o céu, onde os homens são ainda mais belos do que na Terra. Podem ter a certeza de uma coisa, quando um homossexual estiver a arder no inferno não vai agradecer à esquerdalha que "lutou pelos seus direitos". Vai lamentar não nos ter dado ouvidos.

 

Portanto depreendo das suas palavras - e não voltando ao homoerotismo, ainda que não tenha ficado satisfeito com a resposta -, que a Entidade Divina Superior, no meio dos seus mil afazeres, ainda vai ter de ser chamado a perdoar o sistema legislativo português, é isso?

O sistema legislativo não é uma pessoa. Mas sim. Imagino que Deus esteja muito preocupado com o que se está a passar em Portugal e tenha alguma coisa a dizer a alguns deputados/activistas quando tiver que os julgar. Ele criou o homem e a mulher sem nunca pensar que uns quantos iluminados iriam alguma vez perverter o casamento de acordo com as leis divinas que Ele definiu e permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Já viu a perversão? O que é que vem a seguir? O casamento poliamoroso entre 20 pessoas em que cada uma está casada com pessoas diferentes, como um esquema-pirâmide de casamentos que abrange a população inteira? O casamento inter-espécies? É que depois de abrirmos a caixa de Pandora do casamento entre pessoas do mesmo sexo, tudo passa a ser possível. Daqui a uns anos estamos a ir aos casamentos dos nossos netos com pastores alemães, gorilas ou pandas. E não vamos poder dizer nada, porque se o fizermos chamam-nos velhadas ou zoofiliofóbicos: "Fogo, avô! Parece que ainda vive no século XXI. Amor é amor, independentemente da espécie. Sim, o Tomás é um urso polar. Mas somos felizes e isso é que importa. Deixe-nos viver!" E quando os casais inter-espécies quiserem começar a adoptar crianças humanas? Como é que vai ser? Já imaginaram, deixarem o vosso filho numa festa de aniversário e, quando o vão buscar, não o encontram porque ele foi comido por um dos pais que é um tigre? E vocês não vão poder dizer nada porque, se protestarem, estão a discriminar o tigre por não aceitarem que faz parte da natureza dos tigres comer crianças humanas de vez em quando. Nem sequer vão poder chorar a morte do vosso filho porque, se o fizerem, estão a ser tigrofóbicos. Isto que eu estou a dizer até pode parecer absurdo mas penso sinceramente que esta é a vossa agenda. Primeiro legalizam o casamento e adopção por parte de casais homossexuais. Depois começam a juntar animais à equação. E, quem sabe, daqui a 200 anos também as plantas e minerais possam garantir o seu direito à adopção. Porque não? Se uma rocha ama um pinheiro, porque é que também não podem ter o seu próprio filho? Alguém tem que pôr um travão nesta revolução cultural. Deus criou Adão e Eva, não criou Adão e Ivo! Antes da Eva aparecer para estragar tudo, o Dr. Adão até se pode ter andado a divertir com alguns animais do paraíso. Até pode ter tido pensamentos homossexuais, como qualquer homem, quando olhava para o seu reflexo nos riachos do Jardim do Éden. Até admito que se tenha tocado inapropriadamente nesses momentos. Era o que havia, um homem não é de ferro e, para além de Deus, ninguém o estava a ver. Mas, a partir do momento em que a Eva nasceu a partir da sua costela, ele sabia que era com aquilo que tinha que se contentar, quer gostasse, quer não.

 

Recuemos até 2010. O actual líder do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmava que a orientação sexual não devia ser critério para a possibilidade legal de casais do mesmo sexo poderem adoptar crianças. Ora depois de a ter impedido sucessivamente enquanto foi Governo, acabou por votar contra a proposta de lei. Quer comentar?

Como ex-assessor do Secretário de Estado, esse foi um assunto muito debatido lá no gabinete e que acompanhei de perto. Ora, o que o Dr. Pedro Passos Coelho quis dizer não é que era contra a co-adopção, senão contra a burocracia da adopção. Na altura, pedi um parecer ao padre Felício, um conselheiro espiritual que me acompanha desde tenra idade, e que, acerca deste assunto, diz o seguinte: “Adoptar requer uma burocracia escusada – se os homossexuais casarem como Deus quis, têm uma mulher sempre disponível, cujo útero está ao serviço do homem.” Concordo totalmente com o meu pároco de Ourém. Para quê comprarem bebés de uma prateleira, quando podem adquiri-los pela Natureza. Se isto é ser contra os direitos dos homossexuais, então o mundo está todo do avesso.

 

Se chegar a líder do PSD, porque a sua ascensão mais do que certeira é certa, o que fará em prol dos Direitos LGBT?

A questão não deveria ser “se”, mas sim “quando” chegar a Presidente do PSD. E a resposta que tenho para si é bastante completa. Em primeiro lugar, abolia a sigla LGBT, por considerar que é heterofóbica. Em segundo, caso a comunidade LGBT aceite registar-se gratuitamente na base de dados gay do governo, teremos descontos para eles em marcas portuguesas de malas e de sapatos de qualidade. Sabemos que terá impacto na economia mas, mais vale onerar o Orçamento de Estado e poder saber onde eles andam, sempre bem vestidos, do que permitir que eles andem incógnitos com roupas da Primark, a aterrorizarem homens heterossexuais. A terceira medida que proponho é aprenderem a fazer o Haka da equipa de rugby neozelandesa, num estágio de 2 meses, em que viverão em casa de um dos jogadores. Mas atenção, não poderão tentar seduzi-lo. A quarta medida é permitir que, caso durante o processo deshomossexualização se apaixonarem por uma mulher, têm que consumar o casamento, ter um filho e têm que permanecer casados pelo menos 10 anos para possam ser totalmente equiparados aos heterossexuais.

 

O armário da Direita é muito grande? É daqueles assim para o grande como aqueles com portas corridas do IKEA? Há muitos betinhos com sapatos de vela lá dentro?

O armário da Direita é enorme! Se visse a quantidade de fatos, camisas, cintos, botões de punho, gravatas, meias, boxers e sapatos que possuo, até você ficava surpreendido. No entanto, percebo a malícia da sua questão. E sabe de onde vem essa alusão caluniosa do armário? Do nascimento do Dr. Jesus Cristo. Se calhar não sabe, mas o Dr. Jesus Cristo nasceu fora do casamento. E antes que pense que é pecado, deixe-me dizer que não é! Como é filho de Deus, Ele fecunda quem quiser e ninguém tem que questionar, até porque defendo que se deve saber respeitar as hierarquias. No entanto, as mentes perversas dizem que o Dr. José, ao saber que o filho não era dele, devia ter apedrejado a Dra. Virgem como se fazia por aqueles lados, mas que, em vez disso, aceitou tudo muito bem. E porquê? Porque defendem que o Dr. José era homossexual e aceitava tudo, desde que não tivesse que tocar no baixo-ventre da Dra. Virgem. E dizem isso porquê? Porque era carpinteiro. E o que é o carpinteiro faz? Cá está: armários. É uma tristeza! Portanto, sim, os armários da Direita são grandes, mas não há espaço para pessoas de Direita. Às vezes, há uns estagiários, mas isso é só por umas horas, quando se enganam na quantidade de colheres de açúcar no cappuccino.

 

Jovem Conservador de Direita entrevista 19 - 4.png

Imagine que o seu melhor amigo se vai casar (com uma mulher, claro, porque é de boas famílias) e lhe querem fazer a festa de despedida e assistir a um show no Finalmente. Aceita o convite? Não vai? Sobe ao palco e mostra a Jovem Ousada Destra que há em si e até organiza o after?

Não conheço esse estabelecimento. As despedidas de solteiro que costumo frequentar são feitas à moda de Wall Street. Muito whisky, charutos e anões pintados de tinta colorida para arremessarmos contra a parede. Uma vez até contratámos o Dr. Nuno da Câmara Pereira por 20€, para cantar fado durante duas horas ao colo do meu amigo que se ia casar. Depois também o arremessámos à parede, como se ele fosse um anão, porque estávamos bêbados. Isso foi chato porque ele podia ter-se aleijado a sério e temo que tenha sido esse episódio que o levou a defender o que defendeu em relação aos homossexuais. Nisso estou de acordo convosco, ninguém se torna homossexual por moda.

 

Durante a Universidade de Verão do PSD em Castelo de Vide as objectivas captam o agitar frenético de uma bandeira com as cores do arco-íris. Na sua opinião, o que se deve dizer aos Portugueses? E aos barões do partido?

Como ser humano sensível, sou muito apreciador, e fico até emocionado, com o arco-íris como fenómeno meteorológico. E acho muito triste essa ideia de assumir que o arco-íris é propriedade exclusiva da comunidade LGBT. Quer dizer, sempre que olhar para um arco-íris tenho de pensar que afinal são sete cores num frenesim sexual gay e que depois vão ter com a lua para um after? O arco-íris é um fenómeno da natureza assexuado e inapropriável. Ninguém pode privatizá-lo. Era o equivalente a nós, na direita, apropriarmo-nos dos artigos da Carolina Herrera ou de outras marcas gays e fazer deles símbolos da direita e da luta contra a direitofobia. Também não iam gostar, pois não? No fundo, claro que não acha bem porque sei que tem uma mente aberta. Fizeram-no acreditar num sonho, numa utopia dizendo-lhe “Toma, meu querido, este arco-íris é teu como símbolo da nossa luta”. Não, não é, meu caro. É de todos! E eu aprecio o arco-íris mais do que qualquer pessoa. Foi com o arco-íris que aprendi o valor do trabalho. Quando andava no Infantário, a doutora educadora contou-nos aquelas balelas que no fim do arco-íris poderíamos encontrar um pote com moedas de ouro. Hoje sei que é um eufemismo para as raspadinhas mas, naquela altura, ainda não tinha um MBA, logo, era ingénuo. Num Sábado em que tinha chovido toda a manhã, lembro-me como se fosse hoje, quando saí da catequese vi o arco-íris. Olhei para o padre Felício e disse que ia procurar o pote de ouro. Corri como se não houvesse amanhã, pelo menos foi o que ordenei ao chauffeur, e quando pensava que tinha chegado ao destino, do meio do pinhal saltou um monstro. Disse: “As moedas de ouro são propriedade privada. Se quiseres um pote só teu, tens que trabalhar para isso.” Mais tarde, vim a saber que era o padre Felício vestido de Adam Smith. A partir daí, a única coisa que quis foi trabalhar para acumular riqueza. Tudo por causa de um arco-íris.

 

A ideia de aproveitar o naming Portugal para melhorar a situação económica também dá para aquilo dos Audis da Factura da Sorte?

Vejo que estudou a lição. O Naming para Portugal é uma das melhores ideias que já tive para salvar o país e pagarmos em cash a nossa dívida soberana. A mudança de nome Portugal para outro mais rentável, como Deng Xiaoping Emirates, CocaCola, Mituxa Cabeleireiros Lda., é tão natural como, por exemplo, a comunidade LGBT passar a chamar-se “Florzinhas de estufa”. É que, repare, não deixamos de ser quem somos só porque mudamos de nome. Quanto à possibilidade de ganhar um Audi no sorteio da factura da sorte, iremos reformular o conceito para que a comunidade LGBT passe a pedir mais facturas. Depois de se registar gratuitamente no Portal das Finanças, o gay, a lésbica ou até o transgender (neste caso, deverá registar-se com as duas opções ao mesmo tempo, porque o sistema não permite a distinção), este poderá ganhar sessões gratuitas de manicure ou pedicure e a seguir aulas de Reiki.

 

Esta história de nos dizerem que “É a Economia, estúpido!” traduz-se mesmo em quê? (desculpe, não somos de Economia).

É só uma maneira de recentrar o debate naquilo que é realmente importante. A parte do “estúpido” destina-se a todos aqueles que não conseguem perceber que quase tudo se subordina à economia de mercado. Como a luta pelos direitos LGBT. Apesar de estarem a empurrar aqueles cujos direitos estão supostamente a defender para o inferno, a vossa luta é muito boa para o mercado. Os homossexuais são conhecidos por gastarem muito dinheiro em peças de decoração, obras de arte e vestidos de lantejoulas. É isso que faz a economia mexer. O IKEA não existiria se não fosse a comunidade LGBT. Um heterossexual compra um móvel e ele dura para toda a vida. Um homossexual precisa de mudar a decoração da casa duas vezes por ano. Daí tantas grandes empresas terem começado também a defender os direitos LGBT. E eu percebo. A função delas é ganhar dinheiro e eu, como gestor de uma empresa como o IKEA, também me imaginaria a lutar pelos direitos LGBT. Mas a minha função como político não é ganhar dinheiro, é lutar por uma sociedade melhor em que as pessoas vivem uma vida saudável e de acordo com as regras que Deus estabeleceu.

 

Os seus famosos e-mail têm aterrorizado meia classe política portuguesa. Tem sofrido mais represálias ou convites para lanches na Pastelaria Suíça?

A última vez que sofri represálias, posso dizer-lhe, envolveu um cenário com um jardim de Gloriosas venenosas, um funeral de batráquios e um jardineiro despedido. Portanto, nem uma coisa nem outra. Acima de tudo, os meus e-mails só aterrorizam os fracos, como o Duarte Marques e o Bruno Maçães, que têm a mania de não responder, quando estou aqui apenas para ajudá-los. Por outro lado, têm tido uma função mais pedagógica, tendo levado, por exemplo, o senhor Nuno da Câmara Pereira a admitir que tem um problema cognitivo.

 

Em 2016 vamos ver a sua legião de discípulos, os Jovens Conservadores de Direita, a participar em alguma Marcha do Orgulho LGBT?

Certamente! Os jovens conservadores de direita também gostam de se divertir e uma marcha do Orgulho LGBT é uma excelente alternativa ao circo. Só temos pena de saber que uma grande percentagem daquelas pessoas vai acabar a arder no inferno. É pena. Mas o circo às vezes também não acaba sempre bem. Quando o domador é comido pelo leão ou quando um trapezista parte o pescoço também é triste.

entrevista 19 - 3.png

E como não podia deixar de ser… Quem é o seu candidato Presidencial? E porquê? (Não vale responder: “Eu daqui a quatro anos!”)

O doutor professor Marcelo Rebelo de Sousa, obviamente. Um homem inteligentíssimo, com uma bagagem cultural e política de grande calibre. Para além de ser muito acarinhado pelo grande eleitorado português é um homem que se move muito bem em circuitos mais restritos e elitistas. Em tempos negros como estes em que vivemos, numa quase ditadura de Esquerda, é necessário o bom senso de um homem de Direita, que não nos deixe arrastar pelas águas lamacentas do socialismo. E com o bónus de ser um presidente que vai representar Portugal fina e educamente em jantares com outros chefes de estado, sabendo diferenciar os talheres de peixe dos talheres de carne.

 

Fotos: Jovem Conservador de Direita

Entrevista de Paulo Monteiro

26 comentários

Comentar