Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Câmara do Funchal atribui 5000 euros à Opus Gay para acções de formação e sensibilização

MAdeira Pride.jpg

A Câmara Municipal do Funchal estabeleceu um protocolo com a Obra Gay Associação (associação responsável pela Opus Diversidades e Opus Gay Madeira), que consiste num apoio financeiro de cinco mil euros para a realização de acções de formação e sensibilização. A autarquia pretende lutar contra a discriminação nomeadamente em função da orientação sexual e identidade de género, e tornar o Funchal um território que prima pela Igualdade, faz saber o portal de notícias camarário.

 

Este apoio financeiro permitirá que sejam dinamizadas 30 acções de sensibilização sobre o tema “Respeito pela Diferença”,  e 10 acções de formação que irão abordar o tema “Viver a Diversidade: Igualdade de Género, Identidade de Género e Orientação Sexual”. As iniciativas serão de participação gratuita para residentes no Funchal.

Nestas acções de sensibilização serão abordados temas como reconhecer os diferentes géneros e as suas definições, educar para a sexualidade de acordo com as diferentes orientações sexuais, microagressões e efeitos da discriminação para a saúde física e mental e o bullying homofóbico e intervenção positiva.

Já as acções de formação visam dar aos formados aquisição de conhecimentos sobre as realidades que contribuem para a reprodução das desigualdades para as mudar; facilitar a compreensão de que a Igualdade de Género diz respeito ao bem-estar de todos e de todas; desenvolver e aprofundar os conhecimentos sobre as diversas orientações sexuais e de géneros e, por último, sensibilizar para os desafios e problemáticas vividas pela comunidade LGBTIQ+.

A  Opus Gay Madeira tem vindo a trabalhar as questões LGBTI+ na ilha da Madeira, dando respostas aos pedidos de apoio e formação. 

Recorde-se que a primeira Marcha pelos Direitos das Pessoas LGBTI+ ocorreu no Funchal em 2017