Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Federação de Futebol da Nigéria: Não interessa como jogas, diz-me quem tu amas

O campeonato mundial de futebol feminino decorre de 26 de Junho a 17 de Julho, na Alemanha, e para a Federação de Futebol da Nigéria a sexualidade das jogadoras é mais importante do que as suas qualidades técnicas em campo. A treinadora da selecção feminina de futebol da Nigéria, Eucharia Uche, declarou ao New York Times que considera o "lesbianismo" "um grande problema" e como solução prática, ao que parece, optou por perseguir e expulsar as mulheres da sua selecção nacional sobre as quais recai a suspeita de serem lésbicas.

António Costa vai ao Arraial Pride 2011

Arraial Pride Lisboa 2010 ao início da tarde

A maior festa LGBT de Portugal comemora hoje em Lisboa o 15º aniversário, num dia em que os termómetros prometem chegar aos 30 graus. Serão 12 horas non stop: das 4 da tarde às 4 da manhã e o palco dos acontecimentos eleito é o Terreiro do Paço. Tudo com entrada gratuita e presença do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Senado aprova casamento no Estado de Nova Iorque

Depois da votação favorável pelos deputados da Assembleia de Nova Iorque a 16 de Junho, o Senado aprovou esta noite a proposta de lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A proposta segue agora para as mãos do Governador Andrew Cuomo, que a propôs, sendo certa a sua aprovação e entrada em vigor dentro de 30 dias.
Actualmente a lei é válida em Massachusetts, Connecticut, Iowa, Vermont e New Hampshire – e no Distrito de Columbia. Nova Iorque torna-se o sexto estado a permitir o casamento entre cidadãos do mesmo sexo.

 

Actualizada às 10h20 com link: Mais notícias sobre a campanha efectuada pró casamento no Estado de Nova Iorque.

Rapazes do rubgy agora também jogam vólei

Dark Horses Rugby Portugal Foto de Jose Ribas no PitchBeach2010

A Associação Desportiva Boys Just Wanna Have Fun vai participar, pelo segundo ano, no Arraial Pride de Lisboa. O grupo vai aproveitar para apresentar o novo projecto, a equipa de voleibol, os Lisbon Crows, que se junta à equipa de rugby, os Dark Horses. “Após o lançamento da modalidade de voleibol no Arraial, os treinos não tardarão a começar, tendo em vista a constituição e preparação de uma equipa que ambicione a participação em diversas provas do calendário nacional e internacional desta disciplina, nomeadamente nos Gay Games de 2014”, referem os responsáveis. Esta modalidade, tal como o rugby, é aberta a rapazes e raparigas, independentemente da orientação sexual.

Turista, se uma alforreca lhe atacar o órgão, tenha o cartão europeu sempre à mão (vídeo)

Insólito? Nem tanto. É o resumo da nova campanha em vídeo da Comissão Europeia ao Cartão Europeu de Seguro de Doença. No vídeo é possível ver um jovem que se banha numa praia deserta, quando é atacado no pénis por uma alforreca.

Fernando Tavares: Não passou ao Festival da Canção, mas vai ao Arraial Pride com ‘Gay Divas’ (vídeos)

Fernando Tavares tem 27 anos e é actor. Apaixonado pelo teatro musical, participou em produções portuguesas como ‘High School Musical’, ‘Fame’, ‘Peter Pan’, entre outros.

No passado mês de Dezembro recebeu um convite do produtor Paulo Julião para gravar uma maquete para o Festival RTP da Canção, em que se sagraram vencedores os Homens da Luta. O resultado foi a canção ‘Corpos Trocados’, com música de José Castanheira e letra de Paulo Julião.

Primeiro casamento lésbico em templo hindu no Nepal

São norte-americanas, residentes em Denver, no Colorado, e decidiram casar segundo as tradições hindus. A professora universitária Courtney Mitchell, de 41 anos, e a advogada Sarah Welton, de 48, casaram-se esta segunda-feira numa cerimónia pública num templo hindu do Nepal, o que constituiu o primeiro casamento gay naquele país.

 

Esqueçam os Homens da Luta. Conheçam as Mulheres de Megafone na Mão

“A ausência de mulheres visíveis no movimento LGBT alimenta-se mais de ideias preconcebidas do que de factos reais. Existem e sempre existiram muitas mulheres activas, participativas e visíveis no movimento.” A frase é de Eduarda Ferreira, defensora dos direitos das lésbicas e vem na sequência das muitas mulheres que participaram na Marcha do Orgulho deste Sábado em Lisboa. Não seria necessário mais, mas a prova veio no final da Marcha quando a maioria dos que subiram ao habitual camião dos discursos, este ano estacionado na  Praça da Figueira, não eram eles, mas sim elas.

A mais antiga associação de defesa das lésbicas

As activistas que agora assumem o comando da mais antiga associação de defesa das lésbicas do país, o Clube Safo, também participaram na
Marcha do Orgulho. Luísa Rego, membro da direcção, recorda que, mesmo durante o período em que a associação esteve adormecida e em risco de se extinguir, continuou “activamente a participar em todas as marchas”. “Este é um regresso com mais força e mais vontade de trabalhar”, acrescentando que é “é uma honra sermos as primeiras logo a seguir à faixa de abertura”.

Porque é importante estar presente na Marcha?

A pergunta foi feita pelo dezanove a Gabriela Moita, em plena Marcha do Orgulho, este Sábado: "A marcha tem um factor de visibilidade importantíssimo, mas sei que também gera reacção contrária, porque algumas pessoas não percebem o que é o 'orgulho' e é importante esta surpresa para que as pessoas expliquem o significado da marcha." A psicóloga marchava junto da comitiva da Associação para o Planeamento da Família (APF). "Estou aqui porque o mundo é diverso e porque enquanto o mundo não for reconhecido como tal e existir norma teremos de fazer estas marchas."

Ampliada visibilidade

 “É com ela que sou feliz e não é isso que é importante?”, a pergunta estava escrita com as cores do arco-íris. A Catarina estava com a namorada Simone, mas estava também com os pais, Margarida e Paulo. São estes os fundadores da AMPLOS, Associação de Mães e Pais  pela Liberdade de Orientação Sexual.