Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

IAS 2017. É um facto: VIH Indetectável = VIH Intransmissível 

 

sida 1.jpg

 

A 9ª Conferência da International AIDS Society, IAS 2017, decorreu em Paris entre os dias 23 e 26 de Julho. Miguel Rocha enfermeiro de saúde comunitária, marcou presença em representação do CheckpointLX e dá-nos conta das principais novidades sobre VIH/sida.

 


- Identificação precoce de IST. O rastreio regular a outras IST (infecções sexualmente transmissíveis) nos homens que vivem em Londres e usam PrEP (Profiláxia Pré-Exposição) reduziu em 25 por cento o número de casos de gonorreia identificados. A identificação e tratamento precoces em fase assintomática pode ser responsável pela quebra e redução de transmissões. Mais informação aqui.

 

- A questão do vírus indetectável. O estudo Opposites Attract refere que entre 343 casais homossexuais masculinos serodiscordantes, que participaram nesta investigação, não houve um único caso de transmissão da infecção em 16.889 episódios de sexo anal sem preservativo. Neste estudo, os parceiros que vivem com VIH mantiveram a carga viral indectetável em 98 por cento do tempo de observação. Esta conclusão reforça a do estudo PARTNER. Em conjunto, os dois estudos não encontraram um único caso de transmissão da infecção pelo VIH em quase 40 mil actos de sexo anal sem preservativo entre homens. O Opposites Attract avança com outro dado novo e importante: nenhum parceiro que vive com VIH em tratamento eficaz (indetectável), mesmo tendo outra IST, não aumentou o risco de transmitir VIH. No estudo Opposites Attract, os participantes tiveram uma IST em apenas 6 por cento dos actos de sexo anal, enquanto que no PARTNER, 17,5 por cento dos participantes tiveram uma IST a dada altura do estudo. Outro dado: se o parceiro que vive com VIH está indetetável "a posição sexual também não fez diferença". À semelhança do PARTNER as transmissões de VIH que ocorreram vieram fora da relação, não do parceiro que vive com VIH com carga viral indetectável. Estes estudos reforçam que a pessoa que vive com VIH em tratamento e com carga viral indetectável torna a infecção pelo VIH intransmissível. É um facto: VIH Indetectável = VIH Intransmissível. Mais informação aqui.

sida 2.jpg

- Início do tratamento. A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda o início do tratamento no dia do diagnóstico de VIH, ou se não for possível, nessa mesma semana, caso as pessoas se sintam preparadas para isso. Esta recomendação baseia-se nos resultados de um estudo que indica que existe uma maior adesão/retenção nos cuidados de saúde e supressão viral nas pessoas que iniciam a medicação imediatamente. Mais informação aqui.

 

A eficácia do regime intermitente da PrEP (toma do Truvada quando as relações sexuais são planeadas/previstas) do ensaio clínico IPERGAY foi questionado, visto que a maioria dos participantes fazia PrEP tão frequentemente (toma do medicamento quando as relações sexuais são frequentes) que o regime era quase diário. Por isso, os investigadores observaram o risco de infecção entre homens que tomavam o medicamento de forma intermitente (excluindo os que a tomavam quase diariamente). Nenhum dos homens que estava sob este regime de PrEP contraiu a infecção por VIH, e uma análise estatística detalhada sugere que este regime é tão eficaz quanto o regime diário de PrEP. Mais informação aqui.

 

Artigo de Miguel Rocha, enfermeiro de saúde comunitária