Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Amor e Justiça em "Freeheld" com Julianne Moore e Ellen Page (com vídeo)

freeheld-1.jpg

"Freeheld - Amor e Justiça" (2015), de Peter Sollet, que estreia esta quinta-feira, 23 de Março, traz-nos ao ecrã a história real de luta pelos direitos humanos de Laurel Hester e Stacie Andree, aqui protagonizadas por Julianne Moore e Ellen Page.

70x100_Freeheld-Official.jpg

Aquando das primeiras exibições do filme nos EUA, a película chegou a ser apontada como nomeável para os Óscares de 2016. As promessas não se fizeram cumprir e o filme tem tido uma carreira de exibição discreta.

Este drama biográfico é baseado no documentário "Freeheld" (2007), de Cynthia Wade, vencedor de um Óscar. Realizado por Peter Sollet, "Freeheld - Amor e Justiça", conta com o argumento de Ron Nyswaner, argumentista de "Filadélfia" (1993), de Jonathan Demme.

A agente Laurel Hester (Julianne Moore) pertence ao departamento da polícia de Nova Jersey. Para além de ser uma profissional respeitada, mantém uma relação conjugal com Stacie Andree (Ellen Page), 19 anos mais jovem. A tranquilidade das suas vidas altera-se quando a Laurel lhe é diagnosticado com cancro nos pulmões em estado avançado. Plenamente consciente do fim que irremediavelmente se aproxima, Laurel deseja que Stacie herde a casa onde ambas vivem e que receba os benefícios de viuvez para que possa ficar numa situação económica mais confortável. Porém, a relação lésbica não é legalmente reconhecida para efeitos de herança. Decidida a marcar posição e a defender os seus direitos e os da comunidade homossexual, luta até ao fim para que a lei seja alterada e Stacie receba o que é seu por direito…

Esta bonita história de coragem, luta, dor, justiça, direitos humanos, perseverança, mas sobretudo de amor chega, finalmente, aos cinemas nacionais.

 

 

Luís Veríssimo