Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Ana Zanatti lança “O Sexo Inútil”

O Sexo Inútil.jpg

O novo livro de Ana Zanatti chegou esta terça-feira às livrarias. “O Sexo Inútil” é um livro pioneiro sobre o preconceito e um instrumento de batalha por uma comunidade mais justa e fraterna pode ler-se numa nota dirigida à imprensa.

Considerado como “um testemunho pessoal e colectivo avassalador e um instrumento precioso de batalha pela dignidade, pela igualdade, pela fraternidade, face aos preconceitos” o livro combina reflexões, correspondência, vários testemunhos e excertos do diário da autora e "põe em causa o conceito de “tolerância” para com aquela, ou aquele, que não é igual a nós" pode ler-se na mesma nota.

As apresentações do livro começam pelo Norte do país. A 26 de Fevereiro durante  o encontro Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim. Segue-se uma sessão pública de lançamento em Lisboa , a 9 de Março, no Teatro São Luís.

O prefácio d'"O Sexo Inútil" é assinado por Viriato Soromenho-Marques que considera que a obra retrata “o que de mais profundo vive no coração da condição humana. Sobre o direito de nos tornarmos, perante nós e os outros, aquilo que somos. Plenamente e sem concessões.”   O professor universitário escreve que “para muitos leitores, estas páginas serão uma revelação, simultaneamente, brutal e comovente, carregada de sofrimento, mas portadora também de gestos e testemunhos que alimentam e fortalecem a esperança. A esperança de que as centenas de milhões de pessoas que, em todo o mundo, se encontram envolvidas, por si próprias ou através de familiares e amigos, na grande constelação da causa LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros), não estão condenadas para sempre a serem esmagadas, oprimidas, discriminadas, feridas na sua integridade moral e física, pela lâmina cortante do preconceito, ou pelo rolo compressor das leis injustas e dos (maus) costumes dominantes." O posfácio foi escrito por Lídia Jorge, que comenta: "O Sexo Inútil veio para fazer reflectir, deitar ao chão preconceitos e máscaras, romper o cerco de silêncio em que vive boa parte daqueles a quem a expressão livre da sua identidade é negada." A edição do novo livro de Ana Zanatti pertence  à Sextante Editora.

Recorde-se que um dos últimos livros da actriz, apresentadora de televisão e também escritora foi um ternurento conto infantil em que a temática da não discriminação também foi abordada. "Teodorico e as mães cegonhas", arrecadou três galardões a nível nacional: o Prémio Média da rede ex aequo, o Prémio Arco-Íris da ILGA Portugal e foi considerado o Livro do Ano pelo site de notícias dezanove.pt.

 

Paulo Monteiro

1 comentário

Comentar