Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Catarina Marcelino: “Hoje marchei com Orgulho” (com vídeo)

Catarina Marcelino Sec Estado  Igualdade.jpg

Depois de em 2016 ter ocorrido a primeira representação de um membro do governo em funções na Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa, Catarina Marcelino, Secretária de Estado para a Cidadadania e a Igualdade voltou a marcar presença nesta iniciativa.

 

Catarina Marcelino discursou após os colectivos e associações que organizaram a 18ª edição da marcha. Marcelino lembrou a aprovação da lei da procriação medicamente assistida para todas as mulheres. A autodeterminação das pessoas trans, aliás lema central da marcha, foi também salientada no discurso da Secretária de Estado. “As três propostas de lei, espero, serão rapidamente discutidas no Parlamento”. “Espero que nasça uma nova lei que dê mais direitos às pessoas intersexo, proíba as operações em bebés e permita que as crianças trans na escola usem o nome que quiserem e com que se identificam”. No que respeita à identidade, Catarina Marcelino defendeu novamente que as pessoas trans possam alterar o nome no cartão do cidadão sem um relatório médico.

A Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade referiu que “não chega só mudar a lei, é necessário ter educação para a cidadania nas escolas”, dando nota que esta abertura à diversidade LGBT deverá chegar no próximo ano às escolas. Marcelino lembrou ainda o arranque dos três serviços de apoio à população LGBTI vítimas de violência no nosso país, incluindo uma casa no Algarve para apoiar homens vítimas de violência.

“Hoje marchei com Orgulho e espero que para o ano, quando voltar a este palco, possa dizer que as leis foram aprovadas. Tenho muito orgulho em estar aqui e defender os direitos da nossa Constituição”, rematou a governante. 

Assiste ao discurso aqui:  

Foto: dezanove

 

2 comentários

Comentar