Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Diogo Infante: "A lei só me reconhece a mim, mas o nosso filho não tem dúvidas"

Diogo-Infante.jpeg

Numa altura em que a adopção de crianças por casais do mesmo sexo volta a estar em cima da mesa, o jornal Observador aborda o tema num extenso artigo da autoria de Bruno Horta.

No artigo intitulado "E se os homossexuais pudessem adoptar", o actor faz, pela primeira vez, declarações públicas sobre o tema depois de se ter casado em Outubro de 2013. Ao Observador, Diogo Infante revela que ele e o marido têm "uma dinâmica familiar em que ambos assumimos o papel de pais, a lei só me reconhece a mim, mas o nosso filho não tem dúvidas”.

Recorde-se que a adopção da criança ocorreu em 2011, isto é, previamente ao casamento do actor com o agente Rui Calapez, com quem já vivia. Na altura que tornou a adopção do filho pública, o actor ainda solteiro declarou: "Quero que seja público e com dignidade. Adoptei uma criança. Tive um filho. Tenho um filho" [...] "Tem sido uma dávida maravilhosa exercer a paternidade na sua plenitude com tudo o que isso pressupõe e, por outro, tem sido o redefinir das prioridades". Na mesma entrevista referia: "Não consigo expressar sem me emocionar o quanto ele me dá a mais do que eu lhe dou. Todos os pais dizem isto, eu sei, mas é preciso vivê-lo para o sentir na pele. Sinto-me muito abençoado".

Ironicamente, se Diogo Infante, agora casado, quisesse adoptar uma segunda criança não podia.  

2 comentários

Comentar