Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Marco Mercier: "Esta é a oportunidade de lançar Lisboa no circuito internacional de festivais de Verão"

Trumps HOT SEASON Marco Mercier.jpg

Hot. É assim que vai ser o próximo Verão em Lisboa. Pela primeira vez a capital portuguesa recebe um festival de música e vários eventos dirigidos ao segmento LGBT: Hot Season Festival. São nove festas ao longo de quatro dias (30 de Julho e 2 de Agosto), a que se soma uma temporada quente ao longo do Verão repleta de festas todos os fins-de-semana, com início já a 20 de Junho e que só termina em Setembro: a Hot Season.

O Hot Season Festival afirma-se como o Primeiro Festival Internacional Gay e Lésbico de Lisboa e inclui um vasto line-up de DJs vindos de festas europeias dirigidas a gay e lésbicas.  A organização do festival quer, com este evento, colocar definitivamente Lisboa na rota do turismo gay e mudar a forma como Lisboa é encarada pelos turistas internacionais.

Antes de todo este calor chegar a Lisboa, o dezanove.pt foi falar com o responsável pelo festival Marco Mercier, director-geral da discoteca Trumps, para saber mais sobre o evento que quer transformar o nosso Verão.

 

dezanove: O que levou a discoteca Trumps a avançar com a organização deste festival em Lisboa? Lisboa está aquém das restantes capitais ou cidades europeias LGBT-friendly no que respeita a este tipo de festivais?
Marco Mercier: O Hot Season é mais do que um festival, é a primeira tentativa de um evento LGBT que abarque a cidade de Lisboa, a cultura, o desporto, o lazer e os locais de maior interesse para a comunidade em geral. Dentro da Hot Season, que vai de 20 de Junho a 19 de Setembro, temos então o Primeiro Festival Internacional Gay e Lésbico de Lisboa (de 30 de Julho a 2 de Agosto), que como referi vai abarcar múltiplas áreas desde a música aos eventos e que vai colocar, finalmente, Lisboa em paralelo com outras grandes cidades europeias como Madrid, Barcelona, Mykonos, Londres ou Paris. São quatro dias de festival de lazer e cultura.
 

Festival Hot Season Lisbon.jpg

Como surgiu a ideia? O que nos podes adiantar?

A criação da Hot Season veio da percepção do crescente turismo LGBT em Lisboa e da necessidade de uma plataforma que o consiga envolver na cidade a um nível que não seja apenas na diversão nocturna. Todos os fins-de-semana, a Hot Season tem diferentes eventos que vão desde festas e produções internacionais a cinema ou desporto. Há, por exemplo, um pacote de actividades diurnas de tours culturais (as Hot Tours) a fantásticas praias que acabam nas festas das melhores marcas internacionais e que são altamente produzidas.
 
A quem se dirige este festival? 
O Hot Season dirige-se a pessoas que se queiram divertir e não é um evento discriminatório, apesar de ter o seu foco na comunidade gay e lésbica. 
A música é um dos pontos principais da Hot Season e contamos com um line-up de DJs internacionais e nacionais que nos coloca em pé de igualdade a outros grandes festivais como o Circuit Festival em Barcelona. Trazemos a Lisboa pela primeira vez um leque de produtores, DJs e performers num tão curto espaço de tempo que é impossível ficar indiferente: em 13 semanas teremos mais de 30 artistas e nos 4 dias do festival temos um line-up de 20 DJs para arrasarem com Lisboa como nunca foi feito.
As festas Hot Season decorrem maioritariamente no Trumps, seguindo a tradição das festas de Verão, mas o Hot Season Festival decorre na praia, na piscina, no Trumps e no Gossip de forma a comportar totalmente as produções que aí vêm.
 
Quem são os convidados e que destaque podes fazer de cada um deles?

Hot Lesbian Lisbon Festival.jpg

Os convidados são mais de 40 e há uns que se podem destacar: Javier Medina, Taito Tikaro e Lenz Garcia todos All Star Matinee; Jodie Harsh de Londres; Alejandro Alvarez, o actor porno português que está a vingar no mundo do DJing; Charlotte DeVaney, uma das Djs mais bonitas do mundo; Steven Redant, presença essencial em qualquer festival.

 
Consideras esta uma oportunidade de trazer mais turistas a Lisboa e lançar o nome de Lisboa no circuito internacional de festivais de Verão? 
Esta é, sem dúvida, "A" oportunidade de lançar Lisboa no circuito internacional de festivais de Verão e de a tornar um ponto de interesse turístico.
 
Que apoios tiveram para lançar este festival?
Tivemos o apoio forte do grupo Matinee, principalmente no festival. Há quase uma garantia de que Lisboa será um hot spot para 2015, obrigando os turistas a marcar as suas férias atempadamente para poderem vir à Hot Season 2016.
 
Qual o valor dos ingressos? 
Há pulseiras all access (acesso a todos os eventos) à venda na Ticketline por 180 euros que comportam as 13 semanas de eventos e ainda oferecem descontos especiais nos hot spots - locais que abraçaram o projecto Hot Season que vão desde bares com pré-parties semanais, a hotéis e restaurantes com descontos especiais durante a Hot Season. 
Para o Hot Season Festival temos pulseiras à venda a 60 euros, que é um preço quase simbólico se pensarmos que a principal festa do festival é uma "La Leche", por um tempo muito limitado. Depois as pulseiras passam a 80 euros.
 

2 comentários

Comentar