Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Grace & Frankie, ou o amor em 2015 (com vídeo)

grace-and-frankie.jpg

Jane Fonda e Lily Tomlin são as mulheres de Martin Sheen e Sam Waterston. Os homens, ambos com mais de 70 anos e casados há mais de 40, decidem divorciar-se e assumirem que são homossexuais. Para além de sócios, amantes e apaixonados um pelo outro há mais de vinte anos, decidiram aproveitar os seus últimos anos de vida para assumirem a sua verdade e casarem um com o outro... 

 

Esta é, em traços muito gerais, a trama da uma nova série de comédia Grace & Frankie, que acabou de estrear nos Estados Unidos e é produzida pela Netflix. Comédia, sim, mas uma comédia que traz à luz do dia e de uma forma muito bem pensada questões que são não apenas importantes, mas que também reproduzem situações muito reais de vida. É bem certo que não há muitos anos jamais uma situação similar poderia ter sido considerada possível, dois septuagenários divorciarem-se das suas mulheres para se casarem um com o outro, mas este é o ano e o mês em que assistimos ao casamento do Primeiro-ministro do Luxemburgo com o seu namorado... (E já agora longa vida e felicidade aos noivos!)

A série é produzida e concebida por Marta Kauffman e Howard J. Morris, autores de êxitos como “Friends”, o que logo à partida é garantia de boa disposição, questões interessantes e diálogos bem “esgalhados”; e, de facto, Grace & Frankie não desilude. Em primeiro lugar, é descrita à perfeição, a classe média-alta norte-americana e os seus representantes da faixa etária em pré-reforma em duas vertentes: por um lado, as concepções do “politicamente correcto” de um dos casais, a casa de praia, o “parecer bem” aos outros; por outro lado, o neo-hippie do outro casal, que continua a achar-se muito zen e a fumar “cigarros alternativos”. E é aqui que nos é dito, num jantar formal dos dois casais que, ao contrário do que as mulheres pensavam, se trata de um jantar para as informar dos respectivos divórcios e não da reforma que elas alegremente anteviam… Elas, afinal de contas odiavam-se; eles, pelo contrário, amavam-se…

lily tomlin jane fonda.jpg

Peripécias de lado, o ponto alto é sem dúvida o carinhoso beijo dos grandes senhores do cinema e TV: o multi-premiado com Emmys e Golden Globes Martin Sheen (Apocalipse Now ou Os Homens do Presidente), e Sam Waterston (The Killing Fields ou Lei e Ordem). É também nessa altura que Robert (Sheen) admite perante Sol (Waterston) que não se sente culpado de nada e que, finalmente se sente para ser livre e ser quem sempre foi no seu íntimo...

Esta série, que se prolonga por 13 episódios nesta sua primeira temporada, não tem ainda data prevista para apresentação nos canais disponíveis em Portugal, pois o Netflix não se encontra entre eles; todavia, isso, por certo, não parará os portugueses interessados de ver estes fantásticos actores e de seguirem as peripécias de Grace & Frankie. A mim não me parou e ainda bem...

Isabel Prates

 

2 comentários

Comentar