Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Já abriu o alojamento gay "trendy and fun" de Lisboa

Late Birds Lisbon Gay Guest House.jpg

Nada ficou deixado ao acaso no projecto do Gay Urban Resort de Carlos Sanches Ruivo, o "The Late Birds Lisbon". Todos os pormenores da recuperação de um antigo edifício lisboeta foram pensados para o transformar numa unidade de alojamento moderna e dotada de conforto, luminosidade e serviços dirigidos, em exclusivo, ao público homossexual.

A mais recente guest house lisboeta, fica localizada no Bairro Alto, e tem serviços personalizados. A assinatura do projecto coube ao arquitecto Pedro Domingos. “O nosso público alvo são os homossexuais masculinos”, declara Carlos Sanches Ruivo. "Aliás, o nosso site vai ser muito claro em relação a isso e um casal heterossexual vai perceber", diz o proprietário, ao mesmo tempo que reforça o posicionamento: "Somos contra a discriminação, apenas estamos a trabalhar especificamente para um público-alvo.”

Depois de uma soft opening, período para acertos relativos ao funcionamento, a guest house entrou em regime de cruzeiro e já oferece, para além das estadias, serviços de brunchs e de bar aos seus hóspedes. Já há algumas reservas para todo o ano e de várias as partes do mundo. Há até quem pense atravessar o Atlântico para vir a Lisboa casar e ficar com toda a guest house em exclusivo. A informação é dada em primeira mão ao dezanove.pt. Carlos Sanches Rodrigues explica a opção pela designação "Late Birds": trata de “um grupo de pessoas que está sempre junto e vai sair até muito tarde: nós somos assim”. E continua: “Este conceito está também associado ao número 12 que, por casualidade, é o número de quartos da guest house, e a palavra 'birds' associa-se inevitavelmente ao corvo de Lisboa".

“Este é essencialmente um projecto pessoal idealizado para ser 'trendy and fun' e que vem na sequência de um sonho de ter algo deste género em Lisboa e que respondesse a pedidos de grupos, como se uma família ou equipa se tratasse”, diz o dono que viveu em França e está agora radicado em Lisboa. Em função da época e da tipologia dos quartos e das suites, os preços variam entre os 100 e os 200 euros, com pequeno-almoço buffet incluído. Os pequenos-almoços são servidos a qualquer hora do dia, porque os hóspedes “depois de uma festa vão-se deitar tarde e não vão ter a preocupação de acordar a horas do pequeno-almoço porque ‘vão sempre a tempo’”.

the late birds lisbon.jpg

“Queremos ser a referência em Lisboa para o público gay. Um homossexual que venha de férias a Lisboa vai querer ficar no Late Birds Lisbon”, reforça Carlos, que aponta particularidades como roupões desenhados para os hóspedes, preservativos em todos os quartos, mobiliário de design, obras de artes ou zonas de lazer como um 'sun deck'  junto à piscina. São apenas peças de um puzzle chamado oferta que Carlos e o companheiro Duarte querem disponibilizar aos turistas homossexuais que visitam Lisboa. Uma experiência em carros antigos, num veleiro ou idas a festas são outras ideias complementares. A rematar, o responsável informa que "entre reservas de hóspedes, festas e eventos, estamos receptivos às parcerias com os grandes eventos de Lisboa, como é o caso do próximo Pitch Beach 2015 [organizado pelos BJWHF Sports Club e que se realizará entre 16 e 18 de Julho] do qual o The Late Birds Lisbon será parceiro oficial, oferecendo descontos aos participantes que escolham a guest house. Uma parte da estadia reverte para apoio do clube".

6 comentários

Comentar