Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Mulher engravida para que o seu filho gay possa ser pai (com vídeo)

Kyle Casson miles UK.png

O caso está a dividir o Reino Unido. O pai da criança garante que o seu filho é amado, não fez nada de mal e que se sente feliz, tal como a sua própria mãe, que engravidou para o ajudar a ser pai.

 

Kyle Casson, um homem de 27 anos homossexual e solteiro, quis cumprir o seu sonho de ser pai. Kyle começou por procurar a clínicas para encontrar uma “mãe de substituição”, porém o pedido foi rejeitado. Depois teve ajuda de uma amiga que se ofereceu para gerar o seu filho, mas esta não conseguiu engravidar. Quando as esperanças começavam a desaparecer, a alternativa, para muita gente considerada insólita, foi uma proposta da sua própria mãe. Anne-Marie Casson, de 46 anos recorreu aos serviços de uma clínica de reprodução assistida. O óvulo pertence a uma dadora e foi fertilizado com um espermatozoide de Kyle. Posteriormente o óvulo foi implantado no útero de Anne-Marie Casson, a mãe biológica de Kyle.

Miles, de oito meses, foi agora adoptado por Kyle porque a maternidade de substituição é legal no Reino Unido, ao contrário de muitos países europeus, como Portugal. O facto de Kyle não corresponder a todos os requisitos, sobretudo porque uma das regras para a maternidade de substituição ser legal é que todos os candidatos a pais sejam um casal, “numa relação familiar e duradoura”, não foi impeditivo pois o juiz considerou que Kyle e Miles já têm uma relação familiar: a de irmãos. A opinião de assistentes sociais ouvidas sobre o caso consideram que a adopção só poderia fortalecer os laços que pai e filho já possuem.

Kyle declarou que nunca pensou em Miles como um irmão. “Nenhum de nós pensou. Mas ele nasceu legalmente como meu irmão. Legalmente ele é apenas filho da minha mãe”.

Depois do tribunal ter deliberado Kyle explicou que “Os nomes da minha mãe e do meu pai já não constam da certificação de nascimento. Sou o único nome que consta na certidão de nascimento, eu sou agora o pai legal e biológico”. A mãe está listada como desconhecida. Sobre a visibilidade do seu caso e das críticas que mencionam até “incesto” Kyle comentou: “Sei que algumas pessoas não entendem e são contra o que nós fizemos, mas pelo que vejo se alguém consegue ser responsável por uma criança, então têm o direito de ter uma criança”.

Anne-Marie também disse que Miles “não está biologicamente ligado a mim, é apenas meu neto. Amo ter sido mãe e para que Kyle pudesse ser pai fiz isso por ele”.

 

Marta Santos