Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

O que uma Câmara de Comércio LGBT pode fazer para promover os negócios

CCLGBTCO Colombia LGBT Felipe Andres Vazquez.jpg

As Câmaras de Comércio LGBT existem maioritariamente no continente americano com o objectivo, entre outros, de dinamizar os negócios dando formação e know-how aos comerciantes que vocacionam os seus negócios para o segmento LGBT. Em Portugal não existe nenhum organismo do género que congregue os empresários que apostam neste mercado. No Brasil a primeira Câmara de Comércio LGBT começa agora a dar os primeiros passos, depois de uma outra tentativa cancelada em 2009.

O que ficariam os empresários e a população LGBT em geral a ganhar com a existência de uma câmara deste género? O dezanove.pt foi falar com o presidente e o vice-presidente da Câmara de Comércio LGBT da Colômbia (CCLGBTCO) para saber mais sobre esta iniciativa criada há dois anos e meio em Bogotá.

 

 

dezanove: Que objectivos tem a Câmara de Comércio LGBT da Colômbia?

Felipe Cardenas Gonzalez e Andrés Vásquez Moreno: A CCLGBTCO foi fundada a 14 de Setembro de 2012 em Bogotá e tem como objectivos promover o empoderamento económico dentro da comunidade LGBT colombiana através de espaços de relacionamento, eventos e contactos com possíveis compradores; promover o nicho de mercado LGBT como um grupo de interesse junto de empresas, organizações entidades governamentais e, finalmente, difundir na sociedade em geral uma mensagem de inclusão e diversidade a partir do mundo do empreendedorismo e dos negócios. 

 

CCLGBTCO Camara de Comercio LGBT Colombia gay.png

Quantos membros associados tem esta câmara? 

Na última assembleia, datada de 28 de Fevereiro, registamos 146 afiliados em seis cidades colombianas: Bogotá, Medellin, Cali, Barranquilla, Cartagena e Bucaramanga. 

 

Que ajudas podem obter os membros da CCLGBTCO? Monetárias, apoio institucional, formação, …?
A CCLGBTCO enquanto entidade não financia dinheiro directamente às iniciativas de empreendedorismo LGBT. No entanto, canalizamos os recursos dos nossos aliados, por exemplo, outras câmaras, a USAID – Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, empresas multinacionais e entidades governamentais, mediante promoção dos seus programas. 

Prestamos ainda assessoria aos nossos membros sobre matérias como aplicação de recursos, concursos a projectos de apoio, consolidação de um plano de negócios que lhes permita ampliar oportunidades de conseguir fundos. 

 

Este projecto nasceu convosco?

Sim. Estamos no projecto desde o dia 0. O Felipe Cardenas como CEO e o Andrés como Vice-Presidente.

 

Felipe CCLGBT Colombia.JPG

Em quantos países existe este tipo de organização?

Há mais de dez câmaras de comércio LGBT no mundo. Aqui na América Latina existem na Argentina; CCGLAR, Colômbia: CCLGBTCO, México: FME-LGBT e em breve (Maio de 2015) no Perú vai nascer a CCGLPE.

 

Como é a situação dos Direitos LGBT na Colômbia?

Na Colômbia os casais do mesmo sexo podem efectuar contratos de "Unión Marital de Hecho" o que se assemelha ao "Common Law Agreement" internacional, [equivalente, em traços gerais, à união de facto em Portugal]. O Tribunal Constitucional colombiano deu ao Congresso da Colômbia, corria o ano de 2012, um prazo de dois anos para legislar sobre esta matéria. Como isso não aconteceu, desde 2014 os casais LGBT que queiram ir a tribunal podem casar-se formalmente e esta acção validaria o acto. No entanto, este tipo de união de facto não se encontra completamente regulamentada. Isto é, é possível, mas não exactamente nos mesmos moldes do que os casais heterossexuais. 

 

Em que termos é que tal se diferencia?

A adopção de crianças por casais do mesmo sexo só é permitida se, e apenas se, um dos pais ou mães for o pai ou mãe biológico da criança.

 

E no que respeita à lei de identidade de género?

Ainda não temos uma lei de identidade de género. Porém, em Novembro de 2014 foi aprovado pelo Congresso uma lei que exonerou os colombianos de apresentar obrigatoriamente a caderneta militar aquando de uma candidatura a um posto de trabalho. Tal obrigação consistia, até então, na maior barreira de acesso da população trans ao mundo laboral, já que não podiam alistar-se no serviço militar. Com esta lei muitas pessoas trans, estão desde este ano, a poder fazer candidaturas a postos de trabalho.


Em relação a ambos: Qual o vosso tipo de união?
Eu e o Andrés celebramos uma união de facto a 16 de Outubro de 2011. Na Colômbia a lei determina que se passarem 24 meses de convivência sem interrupção, todos os benefícios legais de um casamento podem ser igualmente aplicados. No entanto, o nosso estado civil de ambos continua a ser “Solteiro”. Casamo-nos no Canadá em 2014 e nos Estados Unidos em 2015. 

Felipe e Andrés.JPG

Que destinos gay friendly existem na Colômbia?

O destino mais friendly é Bogotá. Aqui existem mais de 100 estabelecimentos entre bares, discotecas, cafés, hotéis e restaurantes que ou são especificamente dirigidos à comunidade LGBT ou friendly.

 

Que eventos LGBT ocorrem durante o ano?

Os dois principais eventos LGBT na Colômbia são a Marcha do Dia do Orgulho Gay, em Bogotá, em Junho, e o Halloween LGBT Circuit que ocorre na altura do fim-de-semana prolongado da primeira semana de Novembro: esta festa alusiva ao Halloween decorre durante quatro dias em diferentes espaços (discotecas e outros espaços) e tem sempre muitíssima afluência.