Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Sergey Lazarev é contra as leis homofóbicas e representará a Rússia na Eurovisão (com vídeos)

Sergey Lazarev

É considerado uma estrela e adorado por uma legião de fãs. Esta quinta feira foi anunciado pela televisão pública russa que no próximo ano irá representar o país em Estocolmo, no Festival da Eurovisão 2016.

De Moscovo, onde nasceu, tornou-se famoso em toda a Rússia. Soma milhões de visualizações nos seus videoclipes no Youtube e, entre vários prémios, ganhou o Artist of the Year MTV Russia Music Awards.

Sergey Lazarev

Há alguma especulação em relação à sua orientação sexual, que segundo o mesmo não passa disso mesmo. Não tem receio de falar sobre o que pensa da homossexualidade e da grande discriminação que se vive na Rússia. É um apoiante de peso em solo russo pelos direitos LGBT. Segundo o cantor “Cada pessoa tem a sua própria vida e ninguém tem o direito de ditar como as outras pessoas devem viver ou amar”.

Logo após a aprovação das leis anti-gays o cantor opôs-se publicamente, esta situação não só levou à dita especulação em relação à sua orientação sexual como a uma grande polémica. O cantor refere que, actualmente, o homem moderno pode ver que existem gays e que eles são importantes para a sociedade e nomeia um importante compositor russo, Piotr Ilitch Tchaikovsky, que segundo consta terá sido homossexual. Lazarev continua “um jovem que aos 16 anos se dá conta da sua orientação sexual, que poderá fazer a esse respeito? Está proibido de tomar alguma decisão. Sinto muito pelas pessoas que estão mantidas como reféns nesta situação. Há rapazes e raparigas gays”.

É com os adolescentes, o grupo que mais sofre com as leis anti-propaganda gay, que o cantor se mostra especialmente preocupado. Um adolescente não tem acesso à informação, a nada que diga que ele é normal, mesmo um médico não o pode dizer. Estão expostos à violência tanto física como psicológica e sem protecção. Isto pode levar a estados depressivos e, inclusive, ao suícidio.

 

 

Actualizada a 7 de Maio com vídeo "You Are The Only One"

Fonte: http://www.gayrussia.eu/

João Miguel