Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Surto do vírus da Hepatite A em Portugal. Mais de 100 casos só em Lisboa

Hepatite A.jpg

Desde Janeiro foram diagnosticados 105 casos de Hepatite A na região da Grande Lisboa.

O número de casos registados em três meses é muito superior ao habitual. A quase totalidade dos casos ocorreu entre HSH (homens que têm sexo com homens). Nos últimos 40 anos a média era de dois casos por ano.

A SIC avança que este surto terá começado em Amesterdão e está a espalhar-se pela Europa. Portugal é um dos 13 países onde a incidência do vírus se está a fazer sentir sobretudo na região de Lisboa. A maioria dos diagnósticos está a ser registada entre homens que têm sexo com homens, mas também há casos entre heterossexuais.

O surto estará relacionado com "chemsex". Um documento da DGS explica que esta actividade epidémica recente está relacionada com "chemsex", ou seja, "actividade sexual potenciada por substâncias químicas, podendo envolver múltiplos parceiros". Neste tipo de prática, os homens tomam substâncias químicas para que as erecções se mantenham por muito tempo e têm relações com uma série parceiros ao longo de vários dias relata o Público. O mesmo jornal informa que a elevada incidência de casos levou as autoridades europeias a aconselhar a vacinação entre os membros da comunidade gay. 

Há precisamente uma semana o CheckpointLx, centro dirigido a homens que têm sexo com homens, emitia uma nota de esclarecimento no Facebook:

 

A reter:

O vírus da Hepatite A  (VHA) provoca a inflamação aguda do fígado.

A transmissão da Hepatite A é por via fecal-oral. Ou seja, pode ocorrer em situações de contacto com as fezes. Exemplo: sexo oro-anal (estimulação do ânus com a língua, também conhecido por rimming) e o sexo que envolva a passagem de práticas anais para práticas orais. O VHA transmite-se mais frequentemente através da ingestão de bebidas e alimentos contaminados com fezes. Igualmente importante: lavar devidamente as mãos após uso dos sanitários e antes da confecção de alimentos. Em caso de VHA a ingestão de álcool é totalmente desaconselhada, pois pode provocar falência hepática.

Sintomas: A maioria dos casos não tem sintomas, mas seis semanas após a infecção as pessoas podem sentir febre, diarreia, dor de estômago, comichão, cansaço, mal-estar e dor abdominal. Urina escura, fezes esbranquiçadas, olhos e pele amarela também podem estar presentes, mas é pouco frequente.

É uma doença curável, raramente fatal: A infecção do VHA é benigna e evolui para cura. A medicação usada melhora os sintomas. No entanto a infecção é perigosa para quem tenha doenças do sistema imunitário.

Como se diagnostica: podes pedir ao teu médico de família, clínica ou hospital para efectuar análises de despiste do VHA através de uma pequena amostra de sangue.

Como se trata: não existe tratamento. A medicação durante a infecção pelo VHA é usada apenas para melhorar os sintomas.

Como se previne: através de uma dose de vacina contra o VHA. Na nota de Facebook o CheckpointLX esclarece que dispõe de consulta médica que pode prescrever a vacina contra o VHA, mas recomenda efectuar as análises necessárias noutro local, para que os médicos possam ler as mesmas e, caso necessário, prescrever a vacina.

 

Sabe mais sobre a Hepatite A lendo este site: http://www.roche.pt/hepatites/hepatitea/ 

9 comentários

Comentar