Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

As políticas da Microsoft Portugal sobre questões LGBTI

GLEAM Microsoft.jpg

Foi a primeira grande multinacional a anunciar estar presente com um autocarro na Marcha do Orgulho LGBTI de Lisboa. Mas não é apenas isso. Fomos saber mais sobre as políticas que a Microsoft pratica junto dos seus trabalhadores e mais sobre a participação na 20ª edição da marcha que acontece este Sábado à tarde em Lisboa.

 

A Microsoft Portugal vai participar na Marcha do Orgulho LGBTQI+ com um autocarro com branding adaptado para a celebração. Por motivos de segurança e cumprimento de regulamento interno, o autocarro estará apenas disponível para colaboradores, família e parceiros da Microsoft, contudo a empresa convida toda a gente a juntar-se à marcha para celebrar princípios de igualdade, diversidade e inclusão.

Em 2018 a Microsoft Portugal criou o grupo GLEAM (Global LGBTQI+ Employees and Allies at Microsoft). Esta comunidade trabalha para promover a diversidade e inclusão, garantindo oportunidades de apoio e networking para os seus membros e promovendo iniciativas que aumentem a consciencialização. A instituição deste grupo visa também criar um efeito de contágio positivo noutras organizações que operem no mercado nacional, na medida em que um local de trabalho diversificado e inclusivo, por ser mais representativo, gera melhores produtos e soluções para clientes, e melhores experiências para os colaboradores.

Segundo o CEO da Microsoft Corporation, Satya Nadella, “para servir ao mundo devemos representar o mundo”, pelo que a diversidade e inclusão são pilares centrais da actividade da organização, alimentando o crescimento do negócio na medida em que permite atrair, reter e desenvolver os melhores talentos de todo o mundo. Os colaboradores são convidados, diariamente, a tomar consciência, a estimular a sua curiosidade e a ter coragem, com a organização a disponibilizar inclusivamente recursos através da plataforma Microsoft Learning para aumentar este potencial.

A Microsoft mantém um ambiente de trabalho livre de discriminação, onde os funcionários são tratados com dignidade e respeito. Todos os colaboradores partilham a responsabilidade de cumprir o compromisso da Microsoft.

A Microsoft não discrimina funcionários ou candidatos com base na idade, ascendência, cor, identidade ou expressão de género, informações genéticas, estado civil, condição médica, necessidades especiais, filiação política, raça, religião, orientação sexual ou qualquer outra característica protegida pela lei e regulamentos aplicáveis. O compromisso com estes princípios está previsto em todas as interacções do colaborador com a organização: desde recrutamento, contratação, training, remuneração, promoção, benefícios, programas sociais e recreativos.

Adicionalmente, a Microsoft esforça-se por manter o local de trabalho livre de assédio e discriminação para que todos possam trabalhar num ambiente produtivo, respeitoso e profissional, sendo totalmente proibido o assédio e a discriminação.

As políticas de protecção previstas abarcam gestores, colaboradores, mas também clientes, pessoal externo, contratados independentes e quaisquer pessoas que realizem negócios com a Microsoft. São tomadas medidas disciplinares e/ou outras apropriadas quando se verifica que esta política foi violada.

A Microsoft introduziu a orientação sexual às políticas de não-discriminação da empresa em 1989. Hoje mantém esforços no sentido de garantir igualdade de direitos aos colaboradores.

Além de apoiar Organizações Não Governamentais, a Microsoft participa em mais de 60 marchas de Orgulho LGBTQI+ em diferentes cidades em todo o mundo e advoga pelos direitos destas comunidades. Dia 29 de Junho de 2019 será em Lisboa.

 

1 comentário

Comentar