Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Competência e talento não têm género! 

Rita Rodrigues.png

Dizem que a vida é feita de escolhas e que temos o poder do livre-arbítrio, mas ao mesmo  tempo as nossas escolhas já são pré-concebidas, vivemos numa sociedade em que ainda há  profissões que são de homens e profissões para as mulheres, vivemos numa sociedade que nos  faz acreditar que nós, mulheres, temos de nos diminuir para cabermos em lugares onde não  cabemos, vivemos numa sociedade em que para ter sucesso a mulher tem de agradar, mas para  agradar ela não pode ser demasiado bem-sucedida.  

 

Se escolhermos a profissão “errada” para o nosso sexo, temos um longo caminho pela frente,  onde todos os dias temos de ultrapassar barreiras invisíveis que nos bloqueiam a passagem,  temos de nos esforçar o dobro para provar o nosso valor, todos os dias são uma constante luta  para derrubar todos os estereótipos.  

Porque é que o nosso género tem de determinar o que vamos fazer com a nossa vida? Porque  é que uma coisa que não está no nosso controlo tem de impor limites nas nossas escolhas? E  se fossemos livres? Eu decidi ser livre e escolhi exercer uma profissão tipicamente masculina. Desde o primeiro contacto com esta profissão fiquei apaixonada pela arte da barbearia, pelo  ambiente que encontramos e acima de tudo pelo processo do atendimento e a capacidade de  poder melhorar a autoestima de alguém através de um corte de cabelo. 

O início foi bastante difícil, às vezes cheguei a perder a confiança nas minhas  capacidades, ser mulher no mercado de trabalho significa ter de trabalhar o dobro para  provarmos que somos igualmente boas.

Contudo o início foi bastante difícil, às vezes cheguei a perder a confiança nas minhas  capacidades, ser mulher no mercado de trabalho significa ter de trabalhar o dobro para  provarmos que somos igualmente boas. “As mulheres não sabem cortar o cabelo dos homens!”;  “Não quero uma mulher a cortar o meu cabelo nem a fazer a minha barba!”; “A barbearia não  é um lugar para as mulheres!” Estas foram algumas das frases que ouvi durante o meu percurso  como barbeira, quando me iniciei nesta profissão foram muitas as vezes que tive de lidar com  este tipo de comentários machistas e com a falta de confiança nas minhas capacidades.  Felizmente contei com o apoio de muitas pessoas à minha volta que me demonstraram que a competência e o talento não têm género e que o lugar da mulher é onde ela quiser! 

O lugar da mulher é onde ela quiser! 

Agora, quase três anos depois posso dizer que me sinto confortável e confiante a exercer a minha  profissão, na barbearia, além de saber cortar o cabelo e a barba, é importante saber ouvir o cliente, a nossa cadeira é como o divã do/a psicólogo/a: onde o cliente fala sobre assuntos  pessoais, amorosos, profissionais e essa troca de experiências e histórias é que fazem toda a  diferença no atendimento, é essa ligação que criamos com o cliente que o fidelizam. 

Nós, mulheres, podemos ter muito mais do que um emprego, podemos ter uma carreira. Seja  qual for a profissão que queiramos escolher, o que importa realmente é ter paixão pelo que  fazemos porque o nosso lugar é onde quisermos estar! 

 

Rita Rodrigues

 

2 comentários

Comentar