Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

João Pedro: “Valeu a pena”

Joao Pedro.jpg

A manifestação convocada pelo Chega para este Sábado acabou por ter um protagonista de defesa dos direitos LGBTI que, além de ter viralizado nas redes sociais, esteve também em destaque na comunicação social. João Pedro Anjos, 27 anos, participou no início da manifestação, exibindo uma bandeira do arco-íris.

“Participei na manifestação no início, não marchei com eles. Quis ter a certeza de que estávamos lá representados”, diz ao dezanove João Pedro Anjos, explicando que decidiu ir até ao Marquês de Pombal porque “o líder do Chega acredita que os casamentos entre pessoas do mesmo sexo não podem acontecer. Não posso deixar que um partido com este tipo de pensamentos retrógrados tenha poder no nosso país”, prossegue. João Pedro destaca ainda: “Todos temos os mesmos direitos. Voltava a ir lá as vezes que fossem precisas. Posso não ter tido impacto sobre eles, mas valeu a pena”, conclui.

A manifestação do Chega, convocada com o mote “Portugal não é um país racista”, decorreu entre o Marquês de Pombal e o Terreiro do Paço, tendo André Ventura discursado no final. Foi a primeira vez que o partido de extrema-direita organizou uma manifestação com estas características no centro de Lisboa.

Este Sábado, 27 de Junho, era o dia previsto para a realização, no Terreiro do Paço, do Arraial Lisboa Pride, evento cancelado devido à pandemia da covid-19.  

 

Foto: Twitter @CatarinaDemony