Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Do Brasil para o mundo: Pabllo Vittar é já uma estrela internacional

pabllo.jpg

É a drag queen mais seguida em todo o mundo e uma das 50 figuras mais influentes da música para a Billboard. Não há barreiras nem fronteiras quando se fala de Pabllo Vittar.

A sua mais recente digressão internacional (cuja passagem por Lisboa, em Abril, esgotou a arena do Campo Pequeno, como o dezanove.pt relatou), é motivo de destaque.

Nos Estados Unidos, Pabllo Vittar já tinha feito história ao ser a primeira drag queen nomeada para um Grammy Latino e a primeira artista brasileira e a primeira drag queen a pisar o palco do mítico festival da Coachella, na Califórnia, ou a vencer a medalha de bronze na categoria “Programa de Entretenimento – Variedades” do New York Festivals, com “Prazer, Pabllo Vittar”, série que versa sobre a temática da homofobia e transfobia, exibida no canal brasileiro Multishow. Em digressão pelas principais paradas LGBTI da América do Norte, a cantora brasileira tem levado ao delírio o público norte-americano. Los Angeles, Boston, Miami, Chicago e São Francisco, nos Estados Unidos, e Toronto, no Canadá, renderam-se à voz e ao carisma de Pabllo Vittar. “A recepção foi especial, balançamos juntos, com muita dança e animação”, contou.

Mas a cereja no topo do bolo, aconteceu em Nova Iorque, na sede da Organização das Nações Unidas, no passado dia 18 de Junho. A convite da Missão do Reino Unido, Pabllo Vittar foi a atracção do evento de comemoração do aniversário da rainha de Inglaterra. Sob o mote da celebração da inclusão e da diversidade, Vittar passou em revista alguns dos temas mais populares da sua carreira, contando com a animação e entusiasmo do público. "Há anos líderes mundiais visitam a sede da ONU, mas apenas uma fez história". Foi assim que a diplomacia britânica comentou o acontecimento, em nota de agradecimento à artista brasileira. “Vai ter viado na ONU, sim”, escreveu Pabllo Vittar na rede social Instagram.

Mas não só a música tem sido o palco da artista brasileira. A sua imagem excêntrica tem seduzido grandes marcas internacionais. Com a Adidas, figura na campanha da nova colecção inspirada no mês do Orgulho. Com a Calvin Klein, firmou uma parceria que a tornou embaixadora global da marca, e a convite da Disney, posou para um ensaio fotográfico de divulgação da versão live-action do filme Aladdin, num cenário inspirado em Agrabah, onde se desenrola a história. No México, a conceituada publicação de moda Elle, dedica-lhe várias páginas da edição de Junho. No Reino Unido, em Abril, a cantora foi capa da britânica Gay Times, numa edição que foi a mais vendida de sempre da revista, superando as capas de Lady Gaga, Elton John ou David Bowie. A revista Gay Times é distribuída em mais de 80 países.

À música brasileira, Pabllo Vittar deu uma nova dimensão. Ao transformismo, abriu novos horizontes. À causa LGBTI, um ícone de liberdade e resistência. Ao Brasil, o palco do mundo. Prestes a lançar o seu terceiro álbum de estúdio, Pabllo Vittar mostra-se mais forte que nunca. E veio para ficar.

Filipe de Oliveira