Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Sobre o Dia da Memória Transgénero: 331 homicídios transfóbicos desde Outubro de 2018

faine-symbol-tool-project-504x270.png

Desde 1999, que o Dia Internacional da Memória Transgénero (TdoR) é assinalado em Novembro. É um dia em que as pessoas transgénero, e pessoas percebidas como tal, que foram vítimas de homicídio de origem transfóbica, são lembradas. Iniciado nos EUA, o TDoR agora é assinalado em várias partes do mundo.

Por ocasião desta data, todos os anos a 20 de Novembro, a equipa da Trans Respect Versus Transphobia Worldwide (TvT) publica a actualização do projecto Trans Murder Monitoring (TMM), que monitoriza, recolhe e analisa sistematicamente relatórios de homicídios de origem transfóbica em todo o mundo.

A actualização do TDoR 2019 revelou um total de 331 casos de homicídio reportados de pessoas transgénero, e indivíduos percebidos como tal, entre 1 de Outubro de 2018 e 30 de Setembro de 2019. A maioria dos assassinatos ocorreu no Brasil (130), México (63) e os Estados Unidos (30), somando um total de 3314 casos relatados em 74 países entre 1 de Janeiro de 2008 e 30 de Setembro de 2019.

O estigma e a discriminação contra as pessoas transgénero é real e profundo em todo o mundo, e fazem parte de um círculo estrutural e contínuo de opressão que mantém as pessoas transgénero privadas dos seus direitos básicos. Pessoas transgénero são vítimas de violência de ódio horripilante, incluindo extorsão, agressões físicas e sexuais, e assassinatos. Na maioria dos países, não são sistematicamente produzidos dados sobre pessoas assassinadas por transfobia e é impossível estimar o número real de casos.

A violência contra as pessoas transgénero sobrepõe-se frequentemente a outros eixos de opressão prevalecentes na sociedade, como o racismo, o sexismo, a xenofobia e a discriminação contra profissionais do sexo. Os dados da TMM mostram que as vítimas cujas ocupações são conhecidas são sobretudo profissionais do sexo (61%). Nos Estados Unidos, a maioria das pessoas transgénero notificadas como tendo sido assassinadas são mulheres transgénero negras ou nativo-americanas (85%), e em França, Itália, Portugal e Espanha, que são os países para onde migram a maioria das pessoas transgénero da África e da América Central e do Sul, 65% das vítimas de homicídio notificadas eram mulheres transgénero migrantes.

Para mais informação sobre o TDoR 2019 e detalhes de cada caso de homicídio consulta este link.

Vigília no Porto às 19h30 - mais informação no link

Concentração em Lisboa às 19h - mais informação no link

 

Pedro Valente