Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Sobre o filme “Homem da camisa laranja” (com vídeo)

Man in an Orange Shirt_ver4.jpg

A História: Perto do final da Segunda Guerra Mundial, Michael e Thomas apaixonam-se, mas Michael está noivo de Flora e, apesar de infeliz, acaba por se casar com ela. Décadas mais tarde, Adam, neto de Michael, vive com a sua avó Flora e está viciado em aplicações de sexo com estranhos, até que um dia conhece Steve.

O Filme: Duas românticas histórias de amor entre dois homens, duas épocas diferentes. Na primeira, o perigo de serem presos caso sejam apanhados no acto sexual e todo o peso de uma sociedade que condena a homossexualidade. Na segunda, os perigos viciantes das aplicações de encontros e a facilidade do sexo descartável.

Em ambas histórias, temos dois personagens apaixonados que não sabem muito bem o que fazer com os seus sentimentos, sentindo-se amargurados e infelizes com as suas vidas. Os momentos de amor entre Michael e Thomas são particularmente bonitos e sensuais; é fácil perceber que foram feitos um para o outro. Mas o peso da sociedade e uma esposa com o orgulho ferido, não lhes facilita nada a vida. Quanto a Adam, o sexo para ele é uma simples troca de fluídos, sem emoção, mas é palpável a atração entre ele e Steve. Mais uma vez, Flora, não contente em ter dado cabo da vida de Michael e Thomas, parece incapaz de aceitar as escolhas do neto.

Michael Samuels, que realizou este filme/mini-série para a televisão britânica, não se coíbe de mostrar o lado sexual dos seus personagens, sem vergonha e sempre com bom gosto. A sua realização é sensível, evita a lamechice, e facilmente cativa a nossa atenção e os nossos corações. A sua direcção de actores também é excelente.

Um quarteto de homens bonitos, sensuais e talentosos dão vida aos quatro personagens e fazem-no de forma convincente, sem receio das cenas íntimas. Os sentimentos que partilham são reais, dando às suas histórias um forte lado emocional capaz de nos tocar e comover. São eles Oliver Jackson-Cohen como Michael, James McArdle como Thomas, Julian Morris como Adam e David Gyasi como Steve. Do lado feminino, tanto a veterana Vanessa Redgrave como Joanna Vanderham são excelentes como a quase odiável Flora.

Recomendo a fãs de dramas no geral e principalmente à comunidade LGBT. É raro termos filmes que nos mostrem o nosso lado de forma positiva. Filme exibido pela RTP, na passada sexta-feira, dia 3 de Abril, às 22h10 e disponível na RTP Play. 

Classificação: 8 (de 1 a 10)

 

Jorge Tomé Santos (crítica também publicada no blogue Fitas Queer)

1 comentário

Comentar