Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Quem foi Felipa de Sousa? A algarvia condenada por se assumir lésbica durante a Inquisição

Felipa de Sousa lésbica

A 26 de Janeiro de 1592, em Salvador, no Brasil, ocorreu aquele que, para muitos, é considerado o caso mais tocante de homofobia da história do Brasil.

Brasil: Morreu Paulo Vaz, activista trans 

Popó Vaz

Paulo Vaz faleceu esta segunda-feira, 14 de Março, aos 36 anos. Conhecido como Popó Vaz, era um dos únicos homens trans activos na Polícia no país onde exercia funções de investigador.

 

Primeira família homoparental brasileira escolhe Portugal para criar as suas filhas

 

Família homoparental

Vasco Pedro da Gama e Júnior de Carvalho estão juntos há mais de 30 anos e foram o primeiro casal homossexual a adoptar uma criança, no Brasil, em 2006. Theodora, com quatro anos na altura, foi a primeira criança brasileira adoptada oficialmente por dois homens. Os nomes dos dois, que moravam em Catanduva, São Paulo, constam como pais de Theodora na sua certidão de nascimento.

 

Xica Manicongo, um importante símbolo de resistência e luta para a comunidade LGBTI+

Xica Manicongo

Xica Manicongo trata-se da primeira pessoa a ser reconhecida, através de um documento, como travesti no Brasil, em pleno século XVI. E é graças a um arquivo existente em Lisboa que esta história é hoje conhecida. 

 

Colombina Clandestina, um carnaval cheio de Graça, feminista, negre e queer

© Foto Raquel Pimentel

O Grito de Carnaval foi em Alfama, no beco de São Miguel, ali onde há seis anos começou o Bloco da Colombina Clandestina, o bloco de Lisboa, que leva a luta e a festa às ruas, lugares de encontro e resistência. Corpos negres, queer, feministas e antirracistas numa cidade em ambiente pós-colonial. No Panteão gritou-se contra Putin e a sua invasão à Ucrânia, no Coreto da Graça foi a “Luz de Tieta” que iluminou o lançamento do single “Histérica e Louca” de autoria de Heidy, a voz da Colombina, Puta da Silva, a voz da negritude trans e Alexa, palavras do feminismo anti-racista e descolonial. 

 

O ex-gerente bancário que se tornou o maior cover de Carmen Miranda

CC e CM.jpg

Eric Barreto realizou fantásticas apresentações em uma época que os shows de transformistas faziam sucesso não apenas nas boates gays, como também na TV. Nascido em Garanhuns, Pernambuco, Barreto ficou conhecido como o melhor cover da estrela Carmen Miranda. O ex-gerente de banco deixou o emprego burocrático e mergulhou na carreira artística, conquistando fama e êxito principalmente no eixo Rio-São Paulo.

Allan Barbosa: "O maior desafio de todos é a sobrevivência das pessoas LGBTI+ brasileiras a residir no Brasil"

Allan Barbosa Queer Tropical.jpeg

5.5 Uma série de cinco entrevistas que vamos publicar nos próximos tempos a cinco pessoas que, de uma forma ou de outra, contribuíram positivamente para que tenhamos Orgulho em sermos quem somos e que nos tenham inspirado e facultado os seus conhecimentos em prol de um país melhor.

 

 

Mulher vítima de ataque transfóbico no Brasil

mask-5498470_1920.jpg

Aviso: Conteúdo potencialmente perturbador.

Roberta Nascimento Silva, uma mulher trans de 33 anos, foi vítima de uma tentativa de homicídio na madrugada desta quinta-feira, em Recife, capital do estado de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar de Pernambuco, o autor do crime é um adolescente.

 

Lisboa vai acolher Museu Lusófono da Diversidade Sexual

Museu LGBT Diversidade Sexual.jpg

Activistas brasileiros e portugueses uniram-se para criar um museu que vai resgatar a história, presente e futuro da diversidade sexual dos nove países que abrangem mais de 260 milhões de habitantes. 

 

Mulheridades por Babaya Samambaia "Ser mulher é um processo... é um contínuo tornar-se"

banner opiniao_Babaya Samambaia.png

"A ridícula ideia de nunca mais te ver".. essa frase de Rosa Montero ecoou em mim durante os últimos dias.