Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

O vestido dos países que nos perseguem

Ashlynn Danger Danielsen & Amsterdam Rainbow Dress Foundation

Mais de um terço dos países do mundo têm legislação anti-LGBTI.  Entre listagens, notícias e iniciativas que denunciam estas situações há uma que aconteceu mesmo aqui ao lado. Durante a Semana do Orgulho LGBTI de Madrid foi apresentado, no Museu do Prado, um vestido que representa os países onde as pessoas LGBTI são perseguidas.

 

 

UE: Aprovado estatuto de refugiado em caso de perseguição pela orientação sexual

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu que os homossexuais extra-comunitários podem pedir o estatuto de refugiado na UE caso sejam perseguidos no seu país de origem com penas de prisão devido à sua orientação sexual.

Filme "Simon" no Malaposta a antecipar o 2º ciclo de Cinema Bioscoop (com passatempo)

O filme neerlandês Simon (de Eddy Terstall) vai ser exibido esta sexta-feira, dia 19 de Julho, às 21h30, no Teatro da Malaposta em Lisboa. Trata-se do aquecimento para a segunda edição do festival que destaca a cultura neerlandesa no estrangeiro. A segunda edição do Bioscoop decorre entre 5 e 8 de Setembro na Cinemateca, em Lisboa.

Entrevista: Como Jean Louzac faz da vida um cabaret (com vídeo)

Gosta de se identificar como o hipotético meio-irmão de Carmen Miranda, homenageando-a com as suas actuações. Numa noite cheia de animação, o octogenário Jean Luzac reuniu esta quinta-feira amigos e fãs para um espectáculo único no restaurante Comida de Santo, no Príncipe Real, em Lisboa. A força deste entertainer e designer de moda quer fazê-lo repetir mais vezes as vindas a Portugal, o país que o seu coração adoptou, porque considera que os portugueses conseguem dar mais do que o que têm.

 

 

Fitas da Holanda e da Flandres a partir de quinta-feira em Lisboa (com passatempo)

Começa esta quinta-feira, 6 de Setembro, e vai trazer as culturas neerlandesa e flamenga pela primeira vez em formato cinema a Lisboa. Trata-se da primeira edição do Filmfestival Cinema Bioscoop que oferecerá 14 longas e curtas metragens, mostrando a diversidade e qualidade dos filmes de língua neerlandesa. O local escolhido é o Teatro do Bairro, no Bairro Alto, em Lisboa.

 

O primeiro “sim, aceito” lésbico do mundo

 “Aceita esta mulher como sua mulher?” A resposta foi “sim, aceito” e a foto do casamento correu o mundo. Anne Marie Thus e Helène Faasen casaram-se ao som das doze badaladas do dia 1 de Abril de 2001. Job Cohen, o presidente da Câmara de Amesterdão, oficializou a relação numa cerimónia onde entre os presentes estavam até ministros. A festa teve direito a transmissão na televisão nacional holandesa. Foi há dez anos e marcou uma etapa na conquista da igualdade de direitos das pessoas LGBT.

 

O dezanove encontrou Anne Marie Thus à margem da conferência Famílias Arco Íris, no início do mês, e conversou com esta mãe de família que agora reside em Maastricht com a mulher Hélene e os filhos Nathan e Myrthle.

 

Dez anos desde a primeira lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo

Helene Faasen e Anne-Marie

O primeiro passo no reconhecimento para a igualdade LGBT no mundo foi dado a 1 de Abril de 2001 nos Países Baixos. A lei ampliou o direito ao casamento aos casais do mesmo sexo e o primeiro casal do mesmo sexo a contrair casamento foi Helene Faasen e Anne-Marie.

Maioria dos gays portugueses continua “dentro do armário”

Apesar de Portugal ser um dos poucos países do mundo que reconhece o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a forma como a comunidade gay masculina vive a sua orientação sexual ainda está longe da aceitação total. Segundo os resultados preliminares do estudo EMIS (The European MSM Internet Survey), a maioria dos homossexuais masculinos portugueses continua dentro do armário, uma situação bastante distante da que se verifica na generalidade dos países da Europa Ocidental e que só encontra paralelo com a Europa de Leste. Dos 5.391 homens portugueses que participaram no estudo, 38,4 por cento afirmam estar “fora do armário”, um valor distante das maiorias que se registam na Alemanha (64,5 por cento), Espanha (65,1 por cento), Reino Unido (66,9 por cento), França (68,3 por cento), Bélgica (75,1 por cento) ou Holanda (81 por cento). Analisando apenas os países da Europa do Sul que integram a União Europeia, além de Espanha, apenas Itália (44,7 por cento) e Malta (51,2 por cento) apresentam valores mais animadores (44,7 por cento) que o caso português. Em contraste, 34,4 por cento dos gregos declaram ter saído do armário. Um número que cai para os 28,3 por cento no Chipre.

“Enormes diferenças podem ser encontradas em relação ao estar 'fora do armário'. Mais de dois terços dos homens estavam 'fora do armário' no Reino Unido, França, Suécia, Noruega, Bélgica e Holanda. Menos de um quarto estavam 'fora do armário' na Bósnia, Macedónia, Moldávia, Sérvia, Roménia, Croácia, Turquia, Lituânia, Ucrânia e Bielorrússia”, pode ler-se nas conclusões preliminares a que o dezanove teve acesso.

 

7,8 por cento vivem com VIH

O EMIS é o maior estudo feito até hoje na Europa com homens que fazem sexo com homens (o que inclui homossexuais, bissexuais e homens que se declaram ser heterossexuais). Ao todo participaram 180 mil homens de 38 países. O questionário esteve disponível online em 25 línguas desde Junho até ao final de Agosto deste ano.

Os primeiros resultados indicam que 45,9 dos participantes portugueses fizeram o teste para o VIH nos últimos 12 meses, isto quando a média do estudo é de 34,6 por cento. “O rastreio de VIH no último ano foi mais comum em Espanha, Portugal, Bélgica, e França. Foi menos comum na Lituânia, Finlândia, Eslovénia, Croácia e Turquia”, referem as conclusões. Além disso, 7,8 por cento dos participantes portugueses vivem com VIH, quando a média europeia se situa nos 4,8 por cento.

“Menos de 2 por cento de todos os participantes (incluindo os que nunca fizeram o teste do VIH) foram diagnosticados com VIH na Bósnia, Eslováquia, Chipre, Bulgária, Turquia, Malta, Estónia e Bielorrússia. Inversamente, mais de 9 por cento de todos os participantes foram diagnosticados com VIH na Suíça, Reino Unido, França, Luxemburgo e Holanda”, indica o relatório preliminar. No entanto, os responsáveis referem que estes valores podem não reflectir a verdadeira proporção “uma vez que algumas infecções ainda não foram diagnosticadas e que a motivação dos homens que vivem com VIH para preencher o questionário do EMIS pode variar entre os países. Uma média de idade mais elevada em alguns países pode igualmente ter contribuído para uma maior percentagem de homens infectados pelo VIH”.

Uma boa notícia: 65,9 por cento dos portugueses sentem-se satisfeitos com a sua vida sexual. A média europeia situa-se nos 55,6 por cento. Os homens mais satisfeitos encontram-se em Espanha, Bélgica, Suíça, Holanda e França, que são também os países onde existem maiores percentagens de homens fora do armário. O relatório final do EMIS será divulgado em Setembro do próximo ano.

 

Rui Oliveira