Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

Em Portugal e no Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

"Fernando Pessoa - textos de rejeição para com as mulheres" o novo livro de Victor Correia

fernando pessoa mulheres

"Além de ter escrito vários poemas de conteúdo homoerótico, Fernando Pessoa escreveu também vários poemas dirigidos a mulheres ou sobre as mulheres. No entanto, há que ver bem o que Fernando Pessoa diz nesses textos, pois o facto de serem poemas dirigidos a mulheres ou sobre as mulheres, não significa que nesses poemas Fernando Pessoa exprima afecto para com elas, mas sim rejeição. Essa rejeição, conforme veremos ao longo desta antologia, é feita através de ironias, sarcasmos, dúvidas, cepticismo para com as mulheres" é o que defende Victor Correia, escritor pessoano com várias obras publicadas.

Há Rosa no RAP: A representatividade das rappers femininas em Portugal

img1.jpg

Ao longo das últimas décadas, o cenário musical mundial testemunhou uma poderosa onda de artistas femininas que conquistaram o seu espaço e deixaram uma marca permanente na indústria. No universo do RAP, género musical que nasceu nos bairros marginalizados dos Estados Unidos, as mulheres têm desempenhado um papel cada vez mais proeminente e empoderado.

Papéis de género e masculinidade tóxica: por uma comunidade gay menos misógina, excludente e opressora

luís lopes pinheiro masculinidade tóxica

Expressão e papéis de género é um assunto bastante discutido actualmente, mas que, infelizmente, ainda causa muita confusão. Neste artigo vou tentar, brevemente, clarificar esse assunto e trazer algumas notas para posterior reflexão.
 
 

"Untitled. The Abortion Pastels" para ver e reflectir em Vila do Conde

Numa sociedade que é difícil ser uma pessoa trans, imagine-se ser gestante e trans e querer abortar

the abortion pastels

O patriarcado, a misoginia, e a cisheteronormatividade têm impactos nos vários níveis da sociedade portuguesa, sendo de destacar os seus efeitos nos serviços de saúde de mulheres, pessoas não-binárias e trans.

A Madonna faz 60 anos

Manuel Moreira foto de Joana Correia

A carreira e a vida da Madonna são, para a maioria das pessoas que conhecem o fenómeno  - e se há nome identificável em quase todas as partes do Mundo é o da Madonna - feitas de "antes de" e "depois de". Porque ela anda cá há muito tempo e toda a gente tem sempre alguma coisa boa ou má a dizer da Madonna e toda a gente tem a "sua" Madonna preferida. Antes e depois das plásticas, antes e depois dos filhos, antes e depois de ter deixado de fazer "bons álbuns".

Ângelo Fernandes: “É preciso que haja homens que se apresentem como feministas”

Quebrar o Silêncio Ângelo Fernandes.jpg

Surgida no início do ano, a associação Quebrar o Silêncio veio preencher uma lacuna no apoio a homens vítimas de violência e abuso sexual em Portugal. Entre o apoio que prestam de forma online e presencial surge agora um encontro dirigido ao grande público dias 16 e 17 de Novembro no ISCTE, em Lisboa. “O homem promotor da igualdade” pretende desafiar a masculinidade tradicional e envolver o homem na luta pelos direitos das mulheres. “O que nós propomos é uma reflexão sobre como podemos motivar mais a participação do homem para a igualdade de género” comenta Ângelo Fernandes, da direcção executiva da Quebrar o Silêncio. Um tema obrigatório nos dias que correm e para melhor compreender na entrevista que se segue.

 

Quer legalizar a violação de mulheres. Encontros em vários países (incluindo Portugal) cancelados

roosh v Portugal violação mulheres.png

O norte-americano Daryush Valizadeh, também conhecido por Roosh V. tem uma legião de seguidores na internet através de uma plataforma chamada "The Return Of Kings". Auto-intitula-se misógino e homofóbico e defende “a legalização das violações” de mulheres. Para além de um fórum online o blogger e escritor promove encontros em várias cidades mundiais onde quer ensinar outros homens a “engatar” mulheres. Uma das estratégias passa por reunir grupos de homens em várias partes do mundo para os ensinar a perseguir os fins deste “líder”. Tudo, obviamente, é efectuado em segredo, dado o enquadramento ilegal destas acções.  

 

Efeminados: ser homossexual, mas ter de lidar com a crueldade vinda da própria comunidade?

Foi recentemente criada uma página intitulada: “Sou/curto afeminado”, uma página dedicada a todos aqueles que, como se já não bastasse a hostilidade da sociedade pseudo­moderna, ainda têm que suportar a crueldade vinda da própria comunidade homossexual. A página do Facebook que fez a divulgação da criação desta página foi a “[Humor controverso] Bixa Depressão”, chamando atenção para o problema daqueles homossexuais que afirmam "”Não curto afeminados" no Grindr/Scruff/Hornet da vida” e perguntando “Quantas e quantas vezes você já viu a palavra "Discreto" sendo usada como elogio necessário para a "conduta gay".