Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

Em Portugal e no Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Top 5 queer mais marcante: Séries Internacionais

queer series

Em Maio passado os leitores do dezanove.pt foram chamados a responder a um inquérito. Agora que o Outono está de volta e puxa para ficarmos em casa a ver séries, revelamos o top cinco das séries queer internacionais mais marcantes dos últimos anos.

Há Rosa no RAP: A representatividade das rappers femininas em Portugal

img1.jpg

Ao longo das últimas décadas, o cenário musical mundial testemunhou uma poderosa onda de artistas femininas que conquistaram o seu espaço e deixaram uma marca permanente na indústria. No universo do RAP, género musical que nasceu nos bairros marginalizados dos Estados Unidos, as mulheres têm desempenhado um papel cada vez mais proeminente e empoderado.

Top 5 queer mais marcante: Música Internacional

top queer music

Durante o mês de Maio questionamos os leitores do dezanove.pt sobre que temas seriam os mais marcantes em termos musicais. Hoje vamos conhecer o top dos cinco mais marcantes a nível internacional. Nos próximos dias serão divulgados os restantes tops aqui no site.

Jó Bernardo e Valeria Vegas em conversa sobre as realidades e as representações trans em Portugal e Espanha

jo bernardo valeria vegas joão ferreira.jpg

A sessão do filme “Vestida de azul” no Batalha Centro de Cinema, em colaboração com o Queer Porto, foi o pretexto para uma conversa com Jó Bernardo, pioneira do activismo trans em Portugal, e Valeria Vegas, jornalista espanhola e autora de vários livros, entre os quais a biografia de Cristina “La Veneno”. As duas mulheres trans falaram de exclusão e marginalidade social, referências e visibilidade mediática, expectativas, conquistas e decepções do activismo nas últimas décadas.

Nickel disponibiliza a opção True Name™ para pessoas trans e não binárias

N_True_Name_White (1).png

A Nickel tornou-se a primeira conta com IBAN Português a oferecer a possibilidade True Name™ nos seus cartões: permite a personalização do nome próprio no cartão de débito, sem exigir a mudança legal do mesmo, o que representa um passo importantíssimo para a comunidade trans e não-binária, uma vez que vêm as suas verdadeiras realidades reconhecidas.

 

O Triângulo TVI: No Domingo ganhou a representatividade

banner opiniao_SaraSalgueira.png

Ao longo de três meses a TVI presenteou o seu público, com mais um reality show. Prometeram que ia ser diferente e foi. Não na forma ou conteúdo, mas nas pessoas. Durante muito tempo, fomos engolidos por casais criados em contexto de jogo, todos eles hetero, que ou funcionam depois da saída ou terminam, assim como na vida no geral. 

"A nossa liberdade sexual e individual está ameaçada"

volt portugal

Fundado a 25 de Junho de 2020 o Volt Portugal é partido pan-europeu e progressista. Fomos falar com os co-presidentes Ana Carvalho e Duarte Costa, os primeiros e únicos líderes políticos abertamente LGBTQIA+ em Portugal e saber o que querem para o país.

 

Esmiuçar “As implicações do masculino genérico”

1.png

Antes de falarmos sobre as implicações do masculino genérico abordado por Clara Não, é necessário perceber o conceito de masculino genérico. Neste caso, masculino genérico ou masculino universal é uma forma de linguagem que utiliza o género masculino como forma de referência a pessoas de ambos os sexos.

 

 

A representatividade LGBTQIA+ nas eleições no Brasil

brasil lgbti

No passado domingo, dia 2 de Outubro, decorreram as eleições no Brasil, cujo resultado mostrou Lula da Silva como o candidato mais votado, obrigando Jair Bolsonaro a ir à segunda volta, a qual terá lugar a 30 de Outubro. 

 

 

Mais vale cair em graça, do que ser engraçado

RAP João Barbosa

 

Numa crónica anterior, a propósito de Paulo Rangel (a minha estreia para o dezanove.pt) referia como era importante a comunidade LGBTQIA+, em primeiro lugar, reconhecer que, quer queira, quer não, a sua existência é uma realidade política; e, em segundo lugar, em virtude disso mesmo, que é absolutamente imprescindível que se consciencialize politicamente, vote em quem realmente a defende e invista em aceder aos locais de poder, para deixar de estar dependente da intermediação nos não-LGBTQIA+ e da sua boa-vontade, para que os seus direitos sejam defendidos.