Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Vanessa Silva: “Eu vivo para o amor.”

Vanessa-Silva.jpg

A actriz e cantora é concorrente da actual edição do Big Brother Famosos onde fez revelações acerca da sua sexualidade. Foi na Curva da Vida, rubrica do reality show da TVI, que Vanessa nos trouxe um pouco mais de si abordando a sua vida profissional e pessoal.

Vanessa cresceu no seio de uma família numerosa e tendo sido criada em grande parte pelos avós maternos. Da avó Gracinda destaca-nos a paixão pelo canto, a força e o feitio que diz ter herdado.
“Eu vivo para o amor, Cristina. Eu disse isso quando entrei na Casa. Eu vivo para o amor, é assim que eu e a minha família vivemos. Para e por amor. Sempre.” Referiu na Gala de Domingo.
Foi aos dezoito anos que conheceu aquele que viria a ser o seu primeiro marido, Eduardo. A concorrente revela que “Já tinha noção de que se calhar o que se passava dentro da minha casa não era muito normal. Não queria falhar. Achava que as coisas iam mudar, mas não mudaram.”
Aquando da representação do musical Fame, onde desempenhou o seu primeiro papel de protagonista, integrando o elenco juntamente com Eduardo, Vanessa conheceu alguém do sexo feminino que a fez perceber, por se ter apaixonado, que o seu primeiro casamento devia chegar ao fim.
Acredita na vida em liberdade, mesmo que às vezes a vida leve por caminhos diferentes, argumentou: “Eu prefiro sempre ver o copo meio cheio. Estou cá, tenho saúde, os meus também, temos amor. Tudo o resto resolve-se.” e descrevendo-se como um espírito-livre, Vanessa explicou a sua relação com outra mulher:
“Eu apaixono-me pela personalidade da pessoa, pela pessoa, pelo coração, pelo que a pessoa dá, pelo que a pessoa tem. Não é pelo físico, portanto não era novidade para mim.”
Mas Vanessa não nega ter sido alvo de preconceito na altura em que assumiu a sua relação com a ex-namorada: “As pessoas quase não têm direito de andar de mão dada na rua. Como se a sexualidade de alguém interessasse a outra pessoa que não a si mesmo. Isso a mim faz-me um bocado de confusão, mas pronto, lá está, eu aceito que as pessoas não apreciem pessoas livres como eu.”
Porém, destaca-se a aceitação por parte da família: “A minha família vê amor e vê pessoas felizes. E isso é que nos faz felizes. Seja um homem, seja uma mulher, desde que eu esteja felizes eles estão felizes comigo.”
Vanessa teve um segundo casamento com Pedro, com o qual mantém uma forte amizade. Mas é com o seu actual companheiro, Miguel, presente em estúdio, que se sente plenamente feliz: “É a primeira vez na minha vida que eu sinto que eu sou efectivamente eu, em tudo, com tudo, sempre. Eu não tenho nunca de pensar ‘Ai, se calhar é melhor não ser tão…’ Às vezes sou super resmungona, mudo de humor, depois amo muito, às vezes sou muito melga… E eu com o Miguel posso ser eu. É a primeira vez na minha vida que eu efectivamente posso ser eu. Isso faz com que todo o medo que eu tinha… não o perdi, não se perde assim… mas ele deixa-me confortável o suficiente para achar que este é o meu para sempre.”
E apesar das perdas que sofreu na esfera familiar e do preconceito com que luta, a artista revela-se optimista para, também profissionalmente, chegar a um lugar de felicidade. “Eu quero só que reconheçam o meu trabalho, o meu esforço. Que percebam que eu não ando aqui a brincar às cantigas. Que percebam que eu sou actriz, que é esse efectivamente o meu trabalho, foi para isso que eu estudei. Acho que há aqui um equívoco, porque eu canto e sempre cantei. Olham-me só [como cantora] tirando o teatro musical obviamente, que eu não quero nunca deixar de fazer, que é a minha maior paixão, mas… Quero estar estável no meu trabalho, quero não ter de acordar todos os dias a pensar ‘E agora? E Amanhã?’”
Cristina Ferreira acrescentou ainda: “Portugal é de facto muito pequenino e às vezes não permite que pessoas com a sua qualidade possam estar no lugar de destaque que deviam estar. A Vanessa é dona de uma voz extraordinária, sabe disso, aliás a Vanessa sabe desde sempre que conta comigo para o que quiser, para mostrar a sua arte. E tenho muita pena que às vezes, por preconceito, pelo que quer que seja, não se coloquem as pessoas no devido patamar”. Miguel e a mãe de Vanessa não puderam também deixar de expressar o seu orgulho na prestação da artista, que se mantém esperançosa: “Pode ser que percebam que o preconceito que têm só porque eu sou explosiva ou extravagante ou por falar alto ou o que quer que seja, sou acima de tudo e isso eu sei e tenho muito orgulho, uma grande profissional e muito amiga dos meus colegas. Portanto, se assim não o virem, depois disto, também não tenho mais para mostrar.”.
Recorde-se que Vanessa tem ao longo do seu percurso sido notícia no nosso site, consulta o arquivo clicando aqui.

 

Inês Marto