Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Homens que pratiquem sexo com homens são excluídos de doar sangue

Hélder Trindade IPST sangue.jpg

Hélder Trindade, Presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, afirmou esta quarta-feira na Comissão Parlamentar da Saúde que ser homem e ter tido sexo com outros homens é factor de exclusão para a dádiva de sangue em Portugal.

 

A ida de Hélder Trindade à Assembleia da República surge no seguimento da audição requerida pelo Bloco de Esquerda depois de se continuar a verificar discriminação de homens que fazem sexo com homens aquando das doações de sangue. Recorde-se que em 2010 foi aprovado, sem nenhum voto contra, uma recomendação ao Governo para adoptar medidas impedissem a discriminação dos homossexuais nos serviços de recolha de sangue.

"O contacto sexual de homens com outros homens é definido como factor de risco", admitiu o presidente do IPST. Hélder Trindade recusou que a medida se trate de um preconceito.

Hélder Trindade referiu que todo o sangue doado é testado e que o questionário onde ainda é perguntada a orientação sexual dos dadores é crucial para a segurança da doação de sangue, dado que existe uma "janela de tempo" em que o VIH pode não ser detectado.

"O que o Instituto questiona é o comportamento de risco. Tanto faz se é homo ou heterossexual. Não há discriminação por grupos de risco, mas sim por comportamentos de risco", afirmou o presidente do IPST. Para Hélder Trindade o dador não será excluído por se assumir homossexual, mas por praticar sexo com outros homens.

Durante a Comissão Parlamentar da Saúde, a deputada socialista Elza Pais considerou que "as garantias de segurança para quem recebe a dádiva devem ser feitas com base no rigor científico e não no preconceito". A ex-secretária de Estado da Igualdade questionou: "O sexo anal não é exclusivo de homens que têm sexo com homens. Se se entende que o sexo anal é factor de risco, como se garante a segurança quando os heterossexuais também têm sexo anal?"

José Soeiro, do Bloco de Esquerda, frisou que as declarações do presidente do IPST presumem que um homem que faz sexo com homens faz sempre sexo anal. “O factor de risco são as práticas sexuais desprotegidas", defendeu o deputado bloquista.

O Bloco de Esquerda fez saber em comunicado se, na sequência de “um conjunto de afirmações preconceituosas", o Governo mantém a confiança política em Hélder Trindade como Presidente do IPST.

3 comentários

Comentar