Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Óscares - Do sonho à realidade: “Moonlight” é mesmo o melhor filme de 2016 (com vídeos)

Não, não foi um sonho. Aconteceu mesmo, “Moonlight” venceu o Óscar para Melhor Filme e ainda levou para casa mais dois, Melhor Actor Secundário e Melhor Argumento Adaptado.

Faye Dunaway e Warren Beatty chegaram a anunciar e a entregar a estatueta de Melhor Filme a “La La Land” (2016) de Damien Chazelle, mas uma troca de envelopes fez com que se assistisse em directo a um dos maiores twist do mundo do cinema. Com os produtores de “La La Land” a fazerem os seus discursos de agradecimento o impacto da verdade transformou o sonho de “Moonlight” em realidade. E assim surgiu o maior pesadelo da empresa de auditoria, a consultora PwC.

Foi apenas a segunda vez em 89 anos de história dos prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas que um filme realizado por um realizador negro ganhou o Óscar de Melhor Filme. E foi a primeira vez que um filme cujo personagem principal é um homem homossexual.  E apenas um dia após “Moonlight” ter sido anunciado vencedor em todas as cinco categorias para que estava nomeado nos Independent Spirit Awards. Nos prémios do cinema independente conquistou Melhor Filme, Melhor Realização, Melhor Argumento, Melhor Fotografia (James Laxton) e Melhor Edição (Joi McMillon e Nat Sanders), e um sexto, o Prémio Robert Altman, previamente anunciado e atribuído ao realizador, director de casting e todo o elenco.

Para além de os produtores Dede Gardner, Jeremy Kleiner e Adele Romanski terem recebido o Óscar para Melhor Filme, “Moonlight” recebeu ainda mais dois prémios: Melhor Argumento Adaptado para Tarell Alvin McCraney e Barry Jenkins, que também realizou o filme, e Melhor Actor Secundário para Mahershala Ali, que foi o primeiro actor muçulmano a vencer um Óscar.

Viola Davis também saiu vencedora. Depois do Golden Globe, do BAFTA e do SAG a sua vitória como Melhor Actriz Secundária por “Vedações” (2016, “Fences”) já era esperada. Em 2010 havia recebido o Tony para Melhor Actriz Secundária pelo mesmo papel na peça de teatro com o mesmo nome. A actriz é também a estrela de "Como Defender um Assasino" ("How to Get Away With Murder"), uma das melhores séries que vimos em 2016, pela qual já recebeu igualmente um Emmy. Na série Viola vive a advogada Annalise Keating. Na segunda temporada descobre-se que Keaton teve/tem uma paixão por Eve Rothlow (Famke Janssen), uma antiga colega.

Depois do épico “erro” de Faye Dunaway, Warren Beatty e da PwC e depois do sonho a realidade: “Moonlight” é mesmo o melhor filme de 2016.

Luís Veríssimo