Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Sete factos LGBT que ficam para a História dos Jogos do Rio

 brasil final.jpg

Telma Monteiro já conseguiu uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos para Portugal. O dezanove.pt resume o que de mais importante aconteceu no Rio de Janeiro ligado com o mundo LGBT. Confere a lista:

 

1. O primeiro casal oficial. Helen e Kate Richardson integram a equipa de hóquei do Reino Unido e entraram para a história por serem o primeiro casal de pessoas do mesmo sexo unido pelo casamento a participar nuns Jogos Olímpicos. Estão casadas desde 2008.

 

2. Cerimónia de abertura. A modelo Lea T. foi a primeira transexual a ter um papel de destaque numa cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos. Foi ela, de bicicleta, quem abriu o desfile dos atletas brasileiros. Horas antes, segundo o jornal O Globo, os ecrãs do Maracanã mostraram um primeiro beijo entre duas pessoas do mesmo sexo, que aguardavam pelo início da cerimónia de abertura dos Jogos. O público aplaudiu.

 

3. Tocha olímpica. Durante a passagem de testemunho da tocha olímpica no Rio de Janeiro dois homens protagonizaram um beijo. O momento, registado em Ipanema, tornou-se viral.  Também a cartoonista transexual Laerte carregou a tocha olímpica que passou por mais de 300 cidades brasileiras.

 

4. Pedido de casamento. A jogadora de rugby brasileira Isadora Cerullo foi pedida em casamento pela sua companheira, voluntária do Rio 2016. O momento ocorreu esta segunda-feira após a entrega das medalhas da modalidade. Izzy, como é conhecida, disse “sim” à namorada, Marjorie Enya.

 

5. Telma Monteiro. A portuguesa ganhou a primeira medalha para Portugal, ao conseguir bronze em judo na categoria de -57 quilos, batendo a romena Corina Caprioriu. Telma Monteiro foi, até ao momento, uma das poucas atletas portuguesas a marcar presença na Marcha do Orgulho LGBT de Lisboa. "Porque somos todos humanos. Porque todos devem ser livres de amar sem medo de serem julgados ou mortos ‪#‎loveislove‬", escreveu no seu Facebook no dia da Marcha de 2016, onde surgia acompanhada por uma foto com a bandeira do arco-íris.

 

6. Tom Daley. É inevitável falar do inglês Tom Daley. O atleta conseguiu já uma medalha de bronze. Na bancada a assistir ao salto estava o noivo Dustin Lance Black, que é produtor de cinema, ao lado de familiares do atleta. Há 45 atletas que estão a participar nos Jogos que são assumidamente homo ou bissexuais.

 

7. Lesbofobia. Pelo menos em dois jogos de futebol feminino, foram ouvidos cânticos lesbofóbicos por parte dos adeptos. Aconteceu nos jogos entre o Canadá e o Zimbabwe, e os EUA e a Nova Zelândia. A jogadora de futebol Megan Rapinoe, da selecção dos Estados Unidos, desabafou em entrevista ao Los Angeles Times: “É pessoalmente doloroso”.

 

4 comentários

Comentar